quinta-feira, 15 de outubro de 2015

Por que não deve ter muitos mestres?



Tiago 3:1 diz: "Meus irmãos, não vos torneis, muitos de vós, mestres, sabendo que havemos de receber maior juízo."
Mas, em outro lugar, as pessoas que não se desenvolviam como professores foram criticadas: "Pois, com efeito, quando devíeis ser mestres, atendendo ao tempo decorrido, tendes, novamente, necessidade de alguém que vos ensine, de novo, quais são os princípios elementares dos oráculos de Deus; assim, vos tornastes como necessitados de leite e não de alimento sólido" (Hebreus 5:12).
Devemos ensinar a palavra de Deus, ou não? Para entender esses trechos, temos que considerar os motivos das advertências nos seus contextos.
Tiago estava combatendo o orgulho de pessoas despreparadas que se achavam sábias e queriam ensinar por motivos egoístas. Através do livro dele, percebemos os problemas de pessoas cheias de vanglória que davam mais importância à posição social do que à humildade, serviço e dedicação espiritual (1:9-11, 19-27; 2:1-26). Houve, entre os leitores da carta de Tiago, pessoas contenciosas que queriam se destacar acima dos outros irmãos. E, principalmente, alguns desses "mestres" não dominavam a própria língua (3:2-12) e não ensinavam a verdadeira sabedoria divina (3:13-18). Uma pessoa que ainda não sabe controlar a língua, e que não está cheia da sabedoria de Deus, nunca deve ser usada como professor da palavra do Senhor. Tal pessoa vai tropeçar na palavra e viver na hipocrisia.
Mas o autor de Hebreus fala de outra situação. Alguns dos leitores da epístola dele eram preguiçosos. Não desejavam ardentemente a justiça de Deus. Não se esforçavam para crescer no entendimento da palavra do Senhor. O autor lhes avisou que cairiam facilmente no pecado por falta de maturidade e discernimento espiritual. Qualquer pessoa que acha que já sabe o bastante e não precisa aprender mais já está desviando do caminho de Deus.
Devemos ensinar, ou não? É claro que um dos grandes privilégios do cristão é compartilhar a sua fé com outros. Mas, a palavra do professor tem que concordar com o exemplo de sua vida. Qualquer pessoa que quer divulgar o evangelho de Jesus deve ler repetidamente as cartas de Paulo a Timóteo e Tito. É impressionante que estas cartas não falam nada de preparação formal em seminários ou cursos teológicos, mas falam muito sobre a autodisciplina e a vida exemplar de pessoas dedicadas ao Senhor.