sexta-feira, 16 de novembro de 2018

Comentário Bíblico Mensal: Novembro/2018 - Capítulo 3 - Sinais da Vinda do Senhor Jesus




Comentarista: Carlos Vagner



Texto Bíblico Base Semanal: Mateus 24.42-51

42. Vigiai, pois, porque não sabeis a que hora há de vir o vosso Senhor.
43. Mas considerai isto: se o pai de família soubesse a que vigília da noite havia de vir o ladrão, vigiaria e não deixaria minar a sua casa.
44. Por isso, estai vós apercebidos também; porque o Filho do homem há de vir à hora em que não penseis.
45. Quem é, pois, o servo fiel e prudente, que o seu senhor constituiu sobre a sua casa, para dar o sustento a seu tempo?
46. Bem-aventurado aquele servo que o seu senhor, quando vier, achar servindo assim.
47. Em verdade vos digo que o porá sobre todos os seus bens.
48. Mas se aquele mau servo disser no seu coração: O meu senhor tarde virá;
49. E começar a espancar os seus conservos, e a comer e a beber com os ébrios,
50. Virá o senhor daquele servo num dia em que o não espera, e à hora em que ele não sabe,
51. E separá-lo-á, e destinará a sua parte com os hipócritas; ali haverá pranto e ranger de dentes.

Momento Interação

Os sinais da volta do Senhor Jesus Cristo à cada dia são mais evidentes em todo o mundo. Diversos sinais estão sendo manifestados. Sinais na área religiosa. Sinais na área social, ética e moral e outros diversos sinais que mostram que a vinda do Messias está muito perto. É tempo de nos prepararmos para estarmos com o Senhor. É tempo de mais consagração, mais fidelidade, mais compromisso com as coisas de Deus, pois o Rei está voltando!

Introdução

Praticamente todos os dias, ouvimos algum anúncio de profecias ou cálculos para determinar o tempo do fim do mundo. Alguns acreditam que uma profecia dos maias indica o fim do mundo ou a volta de um deus ainda este ano. Mas nestes artigos sobre a Bíblia, nunca temos nos preocupado com profecias pagãs ou cálculos baseados em astrologia, pois tais “revelações” não têm nada a ver com a mensagem das Escrituras.

Limitando o assunto aos ensinamentos bíblicos, será que estamos vendo sinais que mostram a volta iminente de Jesus? Muitos afirmam que sim. Praticamente todas as pessoas que têm algum interesse na Bíblia já ouviram alguém falar sobre sinais da volta de Cristo. Frequentemente, ouvimos referências às palavras de Jesus em Mateus 24 (especialmente às dos versículos do 4 ao 14). Entre os sinais que ele apresentou destacam-se: a presença de falsos cristos, guerras, fomes, terremotos e perseguições. As pessoas que dizem que estamos nos dias finais geralmente citam estes sinais e mostram nas manchetes atuais exemplos de todas estas coisas. Neste capítulo trataremos deste assunto a luz da Palavra de Deus.

I. Sinais nos Céus  

O que parecia distante, até mesmo para muitos cristãos, está cada dia mais perto. Mais do que nunca, a igreja deve estar preparada para o Arrebatamento e a Volta de Cristo. Catástrofes, crises e toda a criação estão emitindo sinais claros de que este dia não tardará, conforme descreve o evangelho segundo Lucas: “e haverá sinais no sol, na lua e nas estrelas; e sobre a terra haverá angústia das nações em perplexidade pelo bramido do mar e das ondas. Os homens desfalecerão de terror, e pela expectação das coisas que sobrevirão ao mundo; porquanto os poderes do céu serão abalados. Então verão vir o Filho do homem em uma nuvem, com poder e grande glória. Ora, quando essas coisas começarem a acontecer, exultai e levantai as vossas cabeças, porque a vossa redenção se aproxima” (Lc 21.25-28). Nesta passagem, Jesus fala das características que irão marcar a sua vinda, inclusive fenômenos da natureza sinalizados pelo sol, lua e estrelas. Se nos atentarmos à lua e lembrarmos que no próximo dia 27 de setembro teremos uma Lua de sangue, estaremos mais atentos ao que para nós cristãos significam sinais proféticos. Os livros de Joel, Apocalipse também mencionam o fenômeno: “Mostrarei prodígios no céu e na terra: sangue, fogo e colunas de fumaça. O sol se converterá em trevas, e a lua, em sangue, antes que venha o grande e terrível Dia do Senhor”  (Jl 2.30-31); “O sol se tornou negro como saco de crina, a lua toda, como sangue”  (Ap 6.12).

Estamos vivendo momentos Proféticos que nos leva a ficar alertas e com grandes expectativas quanto ao Arrebatamento da Igreja e a Volta de Jesus.  No dia 27 de setembro de 2015, astrólogos e teólogos de todo o mundo estarão esperando o último eclipse total da Lua, a "Lua de Sangue", que ocorreu em uma sequência conhecida como tétrade.

II. Exortação à Vigilância 

O Novo Testamento menciona a palavra “vigiar” para a volta do Senhor cerca de 50 vezes. Vigilância por parte de um cristão indica fé. Ele crê que o seu Senhor está voltando. Portanto ele está vigiando e esperando. Vigilância indica estar preparado para sua vinda (2 Pd 3.12). Jesus Cristo voltará com certeza! Jamais duvide disto em seu coração meu querido irmão, tenha fé, não ligue para os que questionam a demora na Sua volta, mantenha-se firme e temente a Ele, pois Ele é Fiel e cumpre todas as Suas promessas.

Apesar da indústria bilionária de produzir livros e filmes sobre o fim do mundo, o próprio Jesus disse que não haveria sinais para marcar a data. Ele e seus apóstolos ensinaram sobre a importância de vigilância constante, pois sua vinda será como um ladrão de noite, sem aviso: “Portanto, vigiai, porque não sabeis em que dia vem o vosso Senhor. Mas considerai isto: se o pai de família soubesse a que hora viria o ladrão, vigiaria e não deixaria que fosse arrombada a sua casa. Por isso, ficai também vós apercebidos; porque, à hora em que não cuidais, o Filho do Homem virá” (Mt  24.42-44; cf. 1 Ts 5.2; 2 Pe 3.10). Esses especialistas em mentiras que distorcem a mensagem bíblica para vender seus livros sensacionalistas gostam de se apresentar como conhecedores das Escrituras. Mas se fossem estudiosos reverentes, não dariam crédito às palavras do próprio Jesus Cristo? Em vez de olhar para o sol, a lua e as manchetes dos jornais, estariam buscando viver conforme a vontade do Senhor, prontos para a chegada dele como ladrão de noite. Naquele glorioso Dia, que todos nós possamos dizer: Amém! Vem, Senhor Jesus!

III. Sendo um Servo Fiel

A parábola de Mateus 24.45-51 e de Lucas 12.41-46, trata do senhor de uma casa que precisa se ausentar por um período de tempo não especificado. Ele faz seus planos e em seguida chama um de seus servos que ele acredita teria condições de administrar a casa durante sua ausência. O senhor entrega a casa e os outros servos aos cuidados desse um em que ele confiava. Ele devia alimentar seus companheiros e demonstrar toda sua fidelidade e prudência no cuidado de tudo. A recompensa pela fidelidade seria receber uma responsabilidade ainda maior: a de administrar todos os bens do seu senhor.

Esse bom servo é sempre fiel à sua palavra. Os outros conservos podem confiar nele. Além disso, ele é inteligente o suficiente para antecipar problemas e dificuldades e agir para resolvê-las antes que se tornem incontroláveis. Quando o senhor regressa de sua viagem ele ouve as palavras elogiosas de todos os outros servos de como o responsável havia cuidado bem de tudo. Como resultado o senhor promove esse servo para administrador geral de todos os seus bens. O servo havia passado no teste que lhe fora aplicado pelo senhor.

O servo infiel já é outra história, completamente diferente. Todas as vezes que um senhor coloca alguém como responsável pela sua casa, ele espera que esse servo se comporte de modo adequado e coerente com as responsabilidades que tem. Mas, infelizmente, a natureza humana, nem sempre é confiável. E uma posição de comando pode trazer para fora muitas características indesejáveis em um servo do senhor. Note que tais características já se encontravam dentro daquele indivíduo. Elas não se manifestavam porque o servo não ocupava uma posição de liderança. Mas a partir do momento em que isso aconteceu, as mesmas afloraram de modo incontrolável.

Existem muitas pessoas assim. Elas aparentam uma serenidade e confiança enquanto não ocupam posições de liderança. Seus sentimentos mais terríveis estão bem escondidos por baixo de camadas de gentileza e dedicação. Mas quando são guindados à posição de comando, logo demonstram seu verdadeiro caráter. São pessoas traiçoeira, ardilosas e, muitas vezes, cruéis. Temos certeza que muitos leitores sabem do que estamos falando e outro tanto deve ter experimentado na própria pele a dor infligida por esses verdadeiros lobos em peles de cordeiro.

Sem se preocupar com o dia da volta do seu senhor, esse indivíduo não hesita em usar todo poder e força que lhe foram confiados para servir seus conservos, para prejudicá-los e feri-los. São homens totalmente sem caráter. Que se regozijam em explorar a simplicidade dos outros. Eles imaginam o dia da confrontação nunca vai chegar. Que Deus nos livre de tais pessoas em nosso meio.

domingo, 11 de novembro de 2018

Comentário Bíblico Mensal: Novembro/2018 - Capítulo 2 - A Grande Tribulação




Comentarista: Carlos Vagner



Texto Bíblico Base Semanal: Mateus 24.15-28

15. Quando, pois, virdes que a abominação da desolação, de que falou o profeta Daniel, está no lugar santo; quem lê, entenda;
16. Então, os que estiverem na Judéia, fujam para os montes;
17. E quem estiver sobre o telhado não desça a tirar alguma coisa de sua casa;
18. E quem estiver no campo não volte atrás a buscar as suas vestes.
19. Mas ai das grávidas e das que amamentarem naqueles dias!
20. E orai para que a vossa fuga não aconteça no inverno nem no sábado;
21. Porque haverá então grande aflição, como nunca houve desde o princípio do mundo até agora, nem tampouco há de haver.
22. E, se aqueles dias não fossem abreviados, nenhuma carne se salvaria; mas por causa dos escolhidos serão abreviados aqueles dias.
23. Então, se alguém vos disser: Eis que o Cristo está aqui, ou ali, não lhe deis crédito;
24. Porque surgirão falsos cristos e falsos profetas, e farão tão grandes sinais e prodígios que, se possível fora, enganariam até os escolhidos.
25. Eis que eu vo-lo tenho predito.
26. Portanto, se vos disserem: Eis que ele está no deserto, não saiais. Eis que ele está no interior da casa; não acrediteis.
27. Porque, assim como o relâmpago sai do oriente e se mostra até ao ocidente, assim será também a vinda do Filho do homem.
28. Pois onde estiver o cadáver, aí se ajuntarão as águias.

Momento Interação

A Grande Tribulação é um dos estudos mais desafiadores tanto no sentido teórico quanto no sentido prático. Este estudo é de imensa importância à todos nós devido a sua preciosidade das palavras de Cristo quanto a observação e vigilância de todas as partes acerca dos que creem e confessam o Seu santo nome. Bons Estudos!

Introdução

Poucos assuntos despertam a imaginação e discussão dos intérpretes da Bíblia, que “A Grande tribulação”, com seus agentes: a besta, o falso profeta, o Anti Cristo, e aqui neste texto, “o homem da desolação”. O próprio Mateus, ao narrar as palavras de Jesus já antecipa a dificuldade destas palavras e afirma: “Quem lê, entenda!”.

I. A Tribulação em toda Parte

O próprio Cristo usou a frase "Grande Tribulação" com referência ao tempo terrível da Tribulação. Em Mateus 24.21, Jesus diz: "Porque haverá então grande aflição, como nunca houve desde o princípio do mundo até agora, nem tampouco há de haver." Neste versículo Jesus está se referindo ao evento de Mateus 24.15, o qual descreve a revelação da abominação da desolação, o homem também conhecido como o Anticristo. Além disso, Jesus em Mateus 24.29-30 declara: "Logo depois da tribulação daqueles dias... Então aparecerá no céu o sinal do Filho do homem, e todas as tribos da terra se lamentarão, e verão vir o Filho do homem sobre as nuvens do céu, com poder e grande glória." Nesta passagem, Jesus define a Grande Tribulação (v.21) como começando com a revelação da abominação da desolação (v.15) e terminando com a segunda vinda de Cristo (v.30). Outras passagens que se referem à Grande Tribulação são Daniel 12.1b, que diz: "E haverá um tempo de tribulação, qual nunca houve, desde que existiu nação até aquele tempo; mas naquele tempo livrar-se-á o teu povo, todo aquele que for achado escrito no livro." Parece que Jesus estava citando este versículo quando falou as palavras registradas em Mateus 24.21. Temos também Jeremias 30.7 referindo-se à Grande Tribulação: "Ah! porque aquele dia é tão grande, que não houve outro semelhante! É tempo de angústia para Jacó; todavia, há de ser livre dela." A expressão "angústia de Jacó" se refere à nação de Israel, a qual vai experimentar perseguição e desastres naturais como nunca vistos antes.

II. Uma tão Grande Aflição

Muitos até mesmo o povo de nossa época não entende que o futuro de todo ser humano é nascer na família de Deus. Este é o propósito do porque nascemos. Não ficaremos nessa terra por toda eternidade sem nada acontecer. Estamos nessa terra por um tempo limitado, e estipulado, por Deus e quando esse tempo acabar, Deus escolherá o povo que fara parte de sua família. Está bastante esclarecido na Bíblia que o mundo chegará a um ponto de bastante miséria e infelicidade. Um mundo onde só haverá sofrimento e angústia. Um mundo de violência e uma época onde ninguém respeitará leis e anarquia reinará. Um mundo longe de Deus.

Cristo falou desse mundo, observe… “E ouvireis de guerras e de rumores de guerras; olhai, não vos assusteis, porque é mister que isso tudo aconteça, mas ainda não é o fim. Porquanto se levantará nação contra nação, e reino contra reino, e haverá fomes, e pestes, e terremotos, em vários lugares”, (Mt 24.6-7). Sim, haverá várias guerras e haverá várias misérias ao redor desse mundo. Com certeza, bombas atômicas serão lançadas em vários lugares… “Então disse eu: Até quando Senhor? E respondeu: Até que sejam desoladas as cidades e fiquem sem habitantes, e as casas sem moradores. Isso nunca aconteceu onde cidades ficarão totalmente destruídas. Hoje em dia o homem tem o poder de deixar cidades completamente destruídas.

Nunca na história do ser humano, o mundo tem visto tanto sofrimento. A terceira guerra mundial causará enorme destruição na terra. Note o que o próprio Filho de Deus fala sobre esta época, “Porque haverá então grande aflição, como nunca houve desde o princípio do mundo até agora, nem tampouco há de haver” (Mt 24.21). Até que ponto chegará à humanidade? Chegaremos a uma época onde a calamidade, destruição e infelicidade do homem são tão grandes que mesmo poderá ser comparada aos sofrimentos que o homem tem passado neste mundo. E olha que o homem já passou por épocas de tremendo sofrimento e calamidade como a praga bubônica que matou um terço da população da Europa.

É claro que podemos concluir que no meio desse mundo passando por grande angustia o amor, compaixão e o sentido de fazer o bem para o próximo diminuirá e possivelmente acabará. Já que ambiente das pessoas se tornarão “sobrevivência a qualquer custo”, o homem fará tudo que pode para sobreviver. Nisso o custo da vida dos outros perderá valor. O homem matará para poder comer e cuidar de seus interesses, “E, por se multiplicar a iniquidade, o amor de muitos esfriará” (Mt 24.12). O homem chegará a um ponto onde a única coisa que será de interesse deles e cuidar deles mesmos. Não interessando de nada e de ninguém ao seu redor. Tudo será sobre a sua própria sobrevivência. O homem tem feito atrocidades horríveis em sua história. Exemplos como na segunda guerra mundial onde os alemães abriam os corpos dos Judeus enquanto eles ainda estavam vivos para fazer experiência cientificas neles. Sim, uma tremenda barbaridade.

III. Os Falsos Profetas

Os profetas estão em toda a parte! Nós os ouvimos dentro dos edifícios das igrejas, na televisão e no rádio, nas ruas, ou plantados na porta de nossas casas, para nos falar da vontade de Deus. Eles se dizem mensageiros de Deus, revelando quando o mundo vai acabar, ou o que vai acontecer em nossas vidas, atualmente. Às vezes, predizem grandes bênçãos. Outras vezes, eles nos avisam sobre sérias calamidades. Freqüentemente, nos dizem que Deus lhes tem falado para ordenar-lhes a construção de uma grande catedral ou o empreendimento de algum glorioso empenho no serviço do Senhor. Sem dúvida, a Bíblia menciona freqüentemente profetas de Deus (que revelaram a palavra do Senhor). Algumas vezes, eles falaram sobre os acontecimentos de seu tempo, ou sobre o fim do mundo. Eles predisseram bênçãos maravilhosas e terríveis tragédias. Mas aqueles que desejaram conhecer a vontade de Deus, durante os tempos da Bíblia, também tiveram que se guardar contra os profetas enganadores e falsos. Eles não poderiam aceitar cegamente o testemunho de cada homem que dissesse estar falando por Deus. Hoje, mais do que nunca, precisamos testar aqueles que alegam serem portadores das mensagens de Deus. Toda pessoa que diz falar a palavra de Deus precisa ser experimentada de acordo com a palavra de Deus. Seguindo as recomendações de 1 João 4.1, precisamos submeter os profetas de nossos dias ao teste. São eles, verdadeiramente, mensageiros de Deus?

Quando examinados à luz das Escrituras, os profetas modernos falham a cada volta. Alguns deles podem ser capazes de enganar milhões de pessoas para que aceitem e apoiem seus ensinamentos, mas grandes números de seguidores não podem transformar o erro em verdade. Esses profetas contradizem uns aos outros e, mais importante, contradizem a Bíblia. Eles falham em produzir milagres autênticos para confirmar suas mensagens. Suas predições sobre o futuro falham uma atrás da outra. Eles alegam ter dons que cessaram segundo o plano da sabedoria de Deus cerca de 1900 anos atrás. Eles pretendem ter hoje dons que foram transmitidos diretamente pelos apóstolos, ainda mesmo que os apóstolos tenham morrido 1900 anos atrás. Tais pretensões de revelações sensacionais de Deus podem atrair seguidores e seu dinheiro, mas não resistiriam ao exame cuidadoso daqueles que respeitam as Escrituras como sendo a palavra de Deus, completa e autorizada. Precisamos ter cautela com a atração mortal daqueles que nos conduziriam para longe de Deus. Jesus elogiou os cristãos de Éfeso pelo seu cuidadoso exame daqueles que traziam a eles mensagens novas e diferentes: ". . . e que não podes suportar homens maus, e que pusestes à prova os que a si mesmos se declaram apóstolos e não o são, e os achastes mentirosos" (Ap 2.2). Precisamos imitar seu exemplo, lembrando a atitude tomada pelos cristãos de Beréia, "examinando as Escrituras todos os dias para verem se as cousas eram de fato assim" (At 17.11).

segunda-feira, 5 de novembro de 2018

A Importância da Mensagem do Sermão Profético




Por Leonardo Pereira



Durante todo o mês de Novembro no Comentário Bíblico Mensal, estudaremos acerca do Sermão Profético prenunciado pelo nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. O comentarista deste mês é o pastor Carlos Vagner, ministro do Evangelho, escritor e articulista do Blog Evangelho Avivado, aonde ocorrerão os estudos deste mês. Estudar acerca do Sermão Profético consiste em examinar bem pontualmente, as palavras de Cristo no que concerne ao futuro de Israel e da sua Igreja. Ao observamos o seu sermão diante de seus discípulos, percebemos que se trata de um intenso momento de alerta, bem como uma grande afirmação de esperança e consolo para os seus filhos. Em cada versículos no qual está colocado este poderoso sermão, é bastante importante nos atentarmos hoje no que o Senhor Jesus nos fala através desta grandiosa mensagem, especialmente ao presente tempo em que estava vivendo, vendo e ouvindo muitas coisas.

O tempo em que estamos vivendo é um período de muitas profecias de Cristo que já se cumpriram, que estão se cumprindo, e que logo se cumprirão. Esta mensagem também é vital hoje para nós, de tal maneira a acrescentarmos a nossa fé.  Vive-se hoje um forte período de incredulidade e impiedade nunca antes visto no mundo. Em um momento assim, mais do que nunca é necessário regressarmos as Sagradas Escrituras e prestarmos muita atenção nas palavras de Cristo, assim como seus discípulos o fizeram enquanto estavam em sua companhia. Grandes catástrofes, sinais no céu e na terra, fenômenos nunca antes  imaginados ou vistos, guerras, fomes e muitas tribulações são mencionados por Cristo bem como a a esperança da vida eterna e da presença constante do Senhor em nossas vidas.

O estudo neste mês de Novembro a respeito do Sermão Profético de Cristo Jesus tem como objetivo primordial acrescentar a nossa fé neste mundo imerso de dúvidas e de medo. Roguemos ao Senhor Jesus Cristo que nos conceda força e graça para que possamos perseverar até o fim na caminhada cristã rumo as mansões celestiais. Que as palavras do apóstolo Paulo inspiradas pelo Espírito Santo, sirva-nos de tônico para todo o nosso ser até o dia de Jesus Cristo (Fp 1.6):

"E o mesmo Deus de paz vos santifique em tudo; e todo o vosso espírito, e alma, e corpo, sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo" (1 Ts 5.23).

Deus vos abençoe!