quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Comentário Bíblico Mensal: Setembro/2017 - Capítulo 3 - O Papel da Esposa na Família



Comentarista: Marcos Rogério

Introdução

O papel da esposa na família é de suma importância. Tal papel é indispensável. A mulher foi colocada como uma adjutora, auxiliadora do marido (Gn 2:20) para que pudesse ser uma com ele (Gn 2:24). Assim como o marido, a esposa deve considerar o homem parte dela mesma e cuidar dele (Gn 2:21-23) e entender que esposa e marido devem refletir em sua relação a imagem e semelhança de Deus (Gn 1:27). Temos no Éden a base para que a esposa entende seu importante papel para a família. 

I.  A Esposa no Antigo Testamento

Desde o Éden, permeando todo o Antigo Testamento vemos nas páginas das Escrituras Sagradas o papel da esposa na família. 
Nos tempos do Antigo Testamento muitas famílias não cumpriam o ideal divino porque os homens tinham muitas mulheres e as crianças tinham diferentes mães e havia rivalidade entre as esposas e filho, como exemplo temos a família de Jacó que casou com duas mulheres e que mesmo sendo irmãs ele teve que colher duras consequências ver, Gênesis 30 até Gênesis 50.
Mas o Antigo Testamento mostra o papel da mulher como esposa e líder do lar ao lado do marido ajudando na criação dos filhos. Embora a sociedade nos tempos bíblicos tinha uma cultura machista, em momento algum as Escrituras diminuem a importância da esposa e seu papel na família humana.
Deus designou que a esposa ocupasse o lugar original que Deus lhe designou ao lado do marido. A família necessita de esposas e mães que o sejam não apenas no nome, mas no pleno sentido das palavras. A esposa deve compreender a santidade da sua função que vem desde os tempos do Antigo Testamento. A esposa deve ser fiel ao seu posto do dever como o marido deve ser no dele. Nem num trono o rei tem função mais elevada do que uma esposa e mãe aos olhos de Deus. A sociedade depende mais do papel das esposas dentro dos lares do que do principal magistrado da nação. É no lar que surgem os grandes homens preparados para administrar uma nação como os pais administram o lar. O lar é uma escola onde a mãe é a primeira professora ao lado do marido que é o primeiro professor. A esposa raramente aprecia seu papel ao lado do marido e, muitas vezes, pelo fato de não ser valorizada na sociedade e diferente dos tempos do Antigo Testamento as esposas acabam abandonando o posto familiar para ser reconhecida na sociedade buscando realização pessoal e profissional ou por necessidades financeiras básicas. A estrutura da família no Antigo Testamento com a mãe tendo condições de se dedicar integralmente ao lar e tendo condições de acompanhar o desenvolvimento fosse filhos é um modelo sem igual. A família e a sociedade devem reconhecer o importante papel da esposa dentro de um lar. Nenhuma obra é maior e mais santa do que o papel da esposa no lar. É a esposa que dá o equilíbrio necessário ao lado do marido, ambos se completam. Sobre o homem a Bíblia diz: "O que acha uma esposa acha o bem e alcançou a benevolência do Senhor" (Pv 18:22). As Escrituras reconhecem tanto o papel da esposa e sua importância como que encontrar uma esposa aos moldes bíblicos é alcançar a benevolência do Senhor. É Deus quem faz com o o solitário habite em família (Sl 68:6). Não é bom que o homem esteja só, far-lhe-ei uma auxiliadora que lhe seja idônea (Gn 2:18). Nessas palavras inspiradas do Antigo Testamento Deus mostra a importância da família e do papel da esposa nessa família. Foi por causa da mulher que Adão deixou de ser solitário e foi ela a mãe de toda a raça humana. Adão reconheceu na esposa uma parte dele mesmo (Gn 2:23). O homem deve reconhecer na esposa uma parte de si, deve à luz dessas lições do Antigo Testamento entender o papel da esposa e sua importância dentro do lar e entender que ambos foram criados à imagem e semelhança de Deus e tem igual importância aos Seus olhos (Gn 5:1) e a união de ambos era tanta que a Tradução Almeida Revista e Atualizada descreve tal união afirmando que ambos receberam o mesmo nome, sendo o primeiro casal chamado pelo nome de Adão (Gn 5:2) e só algum tempo depois o homem passou a chamar a esposa de Eva, do hebraico hawwá, havah, que significa a que vive, a vivente, a cheia de vida, por ser ela a mãe de todos os seres humanos Gn 3:20. Logo após a queda, talvez Eva passou a se sentir responsável pela morte de todo vivente, mas bondosamente Adão a comparou à vida. A criação da mulher tinha o propósito de completar o homem (Gn 2:18, 24) e dessa forma o Antigo Testamento reconhece a função da esposa e sua importância e Deus viu que assim era muito bom (Gn 1:31).

II. A Esposa no Novo Testamento

À semelhança no Antigo Testamento, o Novo Testamento reconhece o fundamental papel da esposa na família. Mas diferente do patriarcado cultural, o Novo Testamento interpreta corretamente o Antigo mostrando a dignidade da mulher. Jesus foi um dos pioneiros do Novo Testamento a dar à mulher o devido valor e respeito na sociedade e na família. Maria recebe um destaque ao ser escolhida para ser a mãe do Filho de Deus (Mt 1:18-25 e Lc 1:26-38). As mulheres foram as primeiras destinatárias relatadas no Novo Testamento para divulgar a ressurreição de Jesus (Mt 28:1-10; Mc 16:1-11; Lc 24:1-12 e Jo 20:1-18). Dessa forma, é resgatada a importância da figura feminina que se havia perdido no decorrer da história judaica influenciada pela cultura das nações visinhas. 
Mas referente ao papel da esposa, o Novo Testamento destaca e amplia sua importância dando ênfase ao lar cristão. Em 1 Co 7 Paulo discorre sobre a união entre marido e mulher. Paulo volta ao tema do relacionamento conjugal em Ef 5:22:33 e destaca a importância da esposa e combatendo a cultura machista, o apóstolo compara a mulher à igreja Ef 5:22-25 e orienta os maridos a amar a mulher como seu próprio corpo e afirma que como Cristo amou a igreja, o marido deve amar a esposa Ef 5:29-33. Cristo sendo Senhor da igreja a ama e cuida dela tendo se entregado por ela. É nesse espírito de amor que Cristo é Senhor da igreja e é esse o modelo do senhorio do marido no lar, devendo ele reconhecer o papel da esposa e amá-la e cuidar dela. Nesse texto a submissão e o amor não colocam marido e esposa em posições antagônicas, mas o casamento os une os tornando um Ef 5:28-29 como era no princípio Gn 2:24. O amor os une a ponto de um se entregar pelo outro. Paulo continua tratando dessa relação e exortando os maridos a amarem suas esposas e reconhecerem sua importância em Cl 3:18-19 onde adverte os homens a não tratarem suas esposas com amargura. Pedro também trata da importância do estudo e me 1 Pd 3:1-7 onde dáuma série de orientações a ambos os cônjuges. Dessa forma, o Novo Testamento mostra a importância da esposa para o sucesso no lar.

III. A Esposa no Séc. XXI

Depois do movimento feminista dos anos 1960, 1970 e 1990  que visava dar às mulheres o direito de igualdade com os homens e que trouxe coisas boas e ruins, as mulheres lutaram pelo direito de igualdade, o que é justo, mas deu origem a tal independência feminina. Tal independência levou as esposas a trabalharem fora para buscar a realização profissional e pessoal, mas que por sua vez omitiu o papel de esposa e mãe na família, deixando os filhos e as casas aos cuidados de terceiros que precisa sua vez não preenchem o espaço e obra que uma mãe e esposa o faz, tendo em vista somente o interesse financeiro. 
Paulo disse: "No Senhor, todavia, nem a mulher é independente do homem, nem o homem é independente da mulher" (1 Co 11:11). Portanto, mesmo no século XXI a esposa deve lutar contra as insinuações de qualquer movimento ideológico que alega uma independência entre homem e mulher, tal ideologia por si mesma é diabólica e quebra a unidade do marido e da esposa que vem desde o princípio como Cristo disse: Não tendes lido que o Criador, desde o princípio, os fez homem e mulher e que disse: Por esta causa deixará o homem pai e mãe e se unirá a sua mulher, tornando-se os dois uma só carne? De modo que não são mais dois, porém uma só carne. Portanto, o que Deus ajuntou não o separe o homem" (Mt 19:4-6). Vemos nas palavras de Jesus uma refutação a qualquer ideologia que separe homem e mulher. A mulher do século XXI deve reger-se pelos princípios bíblicos. Não discordamos de mulheres do século XXI trabalharem fora, porque a situação financeira do país e mesmo do mundo as impele à isso, mas deve ser feito um esforço para preservar a família e minimizar os efeitos da ausência da mãe e da esposa. 
A esposa do século XXI também é vítima de violência doméstica. As estatísticas são alarmantes e homens e mulheres conscientes devem lutar pelos direitos humanos da mulher e pela sua segurança e felicidade. A esposa do século XXI deve ser protegida e amada pelo marido como Cristo cuida da igreja e a ama (Ef 5:22-33). Os noticiários todos os dias trazem dezenas de casos de violência física contra as mulheres, violência sexual, violência verbal e tantas outras formas de agressão. 
As esposas do século XXI ainda lutam por reconhecimento, pelo amor e admiração do marido e buscam nas academias, nas clínicas, nas dietas e nas medicações o corpo perfeito, porque lhes falta um elogio sincero por parte do marido que por sua vez admira a beleza de outras mulheres nas ruas e nos meios de comunicação. 
Em algumas regiões conforme a cultura e a educação, mesmo em pleno século XXI, as esposas ainda são vistas e tratadas como escrava sexual e empregada. Os cristãos devem ter consideração para com sua mulher, tratando-a como parte mais frágil, com dignidade, entendendo que marido e mulher são herdeiros da mesma graça para que as orações do casal não sejam interrompidas (1 Pd 3.7). 
Alguns acreditam que a Bíblia é fruto de uma era atrasada onde o povo era ignorante, mas as reivindicações de Deus através da Sua Palavra se encaixam perfeitamente como uma luva às necessidades da esposa no século XXI como o fez no passado. A Palavra de Deus continua atual e plenamente relevante à sociedade atual. 
A esposa é a parte que falta no corpo e na mente do homem e o homem é a parte que também completa a mulher. A esposa em nosso século continua sendo "hawwá", "havah" (Eva) fonte de vida. Foram as esposas que deram a luz aos grandes homens da história e também aos homens que sequer se tornaram conhecidos. Foi uma esposa que deu a luz ao Filho de Deus que se tornou o Salvados de todo aquele que nele crê (Mt 1:21; Jo 3:16). Foi através de uma mãe que todos aqui estamos. Não devemos diminuir a importância da esposa em nosso século e menos ainda devem as esposas diminuir seu próprio valor!  O valor de uma mulher excede o de finas jóias (Pv 31:10). 
Embora a sociedade evolui na área científica e tecnológica, ainda há muito o que mudar e a esposa do século XXI que agora tem a oportunidade de estudar, de votar, de exercer um cargo público e atuar ao lado do marido muito pode fazer nesse sentido. Deve ser quebrado esse clima de competitividade entre homem e mulher, Deus os fez para andarem lado a lado e não um contra o outro. 
Hoje vemos uma tendência crescente de valorizar a mulher, depois de muita luta por seus direitos. As mulheres, até pouco tempo ganhavam metade do que os homens ganham mesmo realizando a mesma quantidade de trabalho. As esposas são tão competentes quanto os maridos tanto para a administração do lar como para o mercado de trabalho. A esposa chega ao século XXI muito mais preparadas para as incertezas e os desafios que essa era oferece. A esposa não precisa ser feminista, mas feminina, ser ela mesma. Deve apegar-se à Palavra de Deus, pois em Cristo todos os tesouros da sabedoria e do conhecimento estão ocultos (Cl 2.3).

sexta-feira, 15 de setembro de 2017

Justos indo à Tribunais de Ímpios




Ousa algum de vós, tendo algum negócio contra outro, ir a juízo perante os injustos, e não perante os santos? Não sabeis vós que os santos hão de julgar o mundo? Ora, se o mundo deve ser julgado por vós, sois porventura indignos de julgar as coisas mínimas? Não sabeis vós que havemos de julgar os anjos? Quanto mais as coisas pertencentes a esta vida? Então, se tiverdes negócios em juízo, pertencentes a esta vida, pondes para julga-los os que são de menos estima na igreja? Para vos envergonhar o digo. Não há, pois, entre vós sábios, nem mesmo um, que possa julgar entre seus irmãos? (1 Coríntios 6:1-5).

Infelizmente o que se tem visto hoje em dia à respeito  de justos levando seus casos aos tribunais de ímpios é de modo impressionante. De maneira que todos nós paramos para pensar, e chegamos à uma conclusão muito impactante e surpreendente: os justos estão sem julgamento próprio e sem senso de justiça. É um retrato muito triste no meio evangélico brasileiro  vermos que a palavra mais falada e comentada hoje é a palavra: "processo". É muito comum hoje em dia vermos o certo virando o errado, e o errado virando o certo. Por isso há uma imensa e grandiosa necessidade vital e com base bíblica, de nós termos uma firme convicção à respeito sobre o que fazer, como fazer e como proceder neste mundo imerso em trevas.

O apóstolo Paulo no capítulo 6 da Primeira Epístola aos Coríntios menciona que as situações ocorrentes com os cristãos da época estava sendo levados aos tribunais de ímpios, trazendo má fama para a comunidade cristã, e a desvalorização do caráter de todos da região, sendo que não haviam pessoas que examinassem as situações e julgassem de forma correta e coerente. É claro que Paulo não está se referindo ao fato de que é necessário ser cruel e impiedoso com os irmãos, mas que analisassem todas as situações de maneira que problemas da comunidade cristã sejam resolvidas na comunidade cristã. Paulo menciona que na igreja de Corinto havia incesto (1 Co 5.1,2), partidarismo (1 Co 1) e também dissensões (1 Co 3), e mendiante à estas situações menciona a necessidade de haver pessoas sábias dispostas à diferenciar o certo do errado.

Que o Senhor nos ajude à buscarmos a sabedoria que vem do Senhor, de maneira que a nossa conduta, nossa índole e o nosso julgamento imparcial sejam claramente vistos aos olhos de Deus e dos homens como ações corretas e concretas.


quarta-feira, 13 de setembro de 2017

Comentário Bíblico Mensal: Setembro/2017 - Capítulo 2 - O Papel do Marido na Família



Introdução

Qual o papel do marido na estrutura familiar? Como o marido pode cumprir o propósito original de Deus para com sua família? 

O marido recebe de Deus algumas atribuições para a vida familiar. O homem foi designado para ser o cabeça da sua casa cuidando da sua auxiliadora Gn 2:18 e de seus filhos. O marido deve ser o governante e provedor do lar atendendo às necessidades físicas, emocionais e espirituais da família e deve não ser um ditador, mas amar sua esposa e cuidar dela como a parte mais frágil Ef 5:22-33. O marido não deve confundir autoridade com autoritarismo. O senhorio do marido é comparado por Paulo na carta aos Efésios com o senhorio de Cristo que amou a Igreja e a si mesmo se entregou por ela. O governo do lar por parte do marido deve ser baseado no amor sacrifical, na abnegação e deve o marido estar sob o senhorio de Cristo para poder ser senhor de seu lar. 
O marido deve ter exata noção de sua responsabilidade no lar e do que Deus requer dele para poder preencher esses requisitos e estar adequado para a vida familiar.

I.  O Marido no Antigo Testamento

Nos tempos do Antigo Testamento, um homem para casar devia provar que estava capacitado para cuidar de um lar. Quando Jacó pediu à Labão sua filha Raquel em casamento, ofereceu a Labão sete anos de serviços em troca da autorização para casar-se com sua filha Gn 28:18. Tal ato mostrava para a sociedade que Jacó estava capacitado para ser um provedor do lar. Que contraste com nossos dias onde os jovens querem casar-se sem ter emprego, sem ter condições de manter uma família e sem sequer terem a intenção de trabalhar! Jackson da Mata explica que o dever do marido no Antigo Testamento era o de conduzir a família em adoração a Deus, estabelecer os princípios elementares, éticos e morais na família, demonstrando integridade e devoção a Deus com caráter plausível. O papel primordial do pai de família era de ser um exemplo na formação do caráter de seus descendentes. Salomão explicou que os pais devem ensinar os filhos no caminho em que devem andar e não o caminho em que devem andar Pv 22:6 mostrando que o pai deve ensinar no caminho e servindo de exemplo e não ensinar o caminho, mas não andar trilhando esse caminho lado a lado com seu filho.
O papel do marido no Antigo Testamento envolvia todas essas funções, além disso ele era o sacerdote do lar guiando esposa e filhos na adoração ao único Deus verdadeiro. 
A sociedade teocrática israelita era muito bem estruturada, não havia casamento homossexual e os filhos cresciam se espelhando no pai como as filhas na mãe. A profissão também era transmitida de pai para filho e cada filho se formava tornando-se um homem que transmitiria os mesmos valores e conhecimentos à próxima geração.

II. O Marido no Novo Testamento

No Novo Testamento vemos Israel não mais em uma nação teocrática, mas governada pelo Império Romano. No que tangia a educação dos filhos, ao relacionamento conjugal e as demais funções no lar o marido era praticamente semelhante ao modelo do Antigo Testamento porque a nação judaica ainda seguia as Escrituras nesse sentido. Nesse tempo a comunidade cristã estava crescendo e agregando valores morais à família, daí surge a expressão "família cristã". 
Os apóstolos deram especial contribuição na agregação dos valores familiares. Paulo explicou que o homem é o chefe da família e responsável por prover as necessidades de seus membros 1 Co 11:3; Ef 5:22--25, Cl 3:19 1 Tm 5:8. O marido deve amar a esposa e cuidar dela como quem cuida de si mesmo, da sua própria carne Ef 5:25, 28, 33 porque ambos são uma só carne Ef 5:31. 
Os pais devem ter equilíbrio no trato com os filhos, não os maltratando, mas aplicando a disciplina na medida certa criando is filhos com todo o respeito e na admoestação do Senhor Ef 6:4, Cl 3:21. 
O papel de marido e pai no Novo Testamento é ampliado pelos ensinos do Senhor por meio de Seus apóstolos. Ricos conselhos aos pais podem ser extraídos das páginas das Escrituras Sagradas. O marido deve planejar o lar com uma boa administração tornando o lar um local de amor, um lugar acolhedor e também uma escola preparatória para seus filhos. 
O marido, embora chegue cansado dos labores diários deve se esforçar para dar atenção à família, deve ser o melhor amigo de sua esposa e filhos. Os casamentos fracassam quando a esposa acha um amigo fora do casamento, quando esse amigo se torna seu "melhor" amigo. A afeição paternal exemplificada no Novo Testamento fará com que os filhos se desenvolvam plenamente em todos os sentidos e a afeição marital fará com que a esposa tenho no marido um conselheiro, um lenitivo que a ajudará nas preocupações diárias. 

No Novo Testamento a função do marido é comparada à de Cristo Ef 5:22-25 e a do pai a do próprio Deus Mt 6:9; Gl 4:6. O marido no Novo Testamento deve espelhar-se na Divindade. 
Em seu livro Pais e Educadores de Alta Performance, o educador Içami Tiba diz na página 20: "É importante que os pais e educadores saibam que a educação em nome do amor passa por quatro fases: Amor dadivoso, amor que ensina, amor que exige e amor que aplica as consequências". Deus é exemplo disciplinando aqueles que ama Hb 12:8; Ap 3:19.
O Novo Testamento ensina que o marido deve espelhar-se em Deus e basear-se nas Escrituras para preencher seus requisitos como marido e pai cumprindo suas funções.

III. O Marido no Séc. XXI

No século atual o marido dispõe de todas as vantagens para exercer seu papel com sabedoria, tendo os exemplos da cultura judaica, dos ensinos e da cultura cristã, além de viver na era da informação, da liberdade de imprensa e de expressão, mas por outro lado se depara com dificuldades contemporâneas como a falta de tempo e a degradação da família pela mídia secular. 
A família sempre foi e será a meta principal de Deus. Em pleno século XXI onde já o amor de quase todos está se esfriando Mt 24:12, os maridos devem conhecer, viver e dar exemplo de amor. Mais do que nunca o marido precisa ser o sacerdote, líder e protetor de seu lar. As influências negativas de nosso século visam destruir a família. As escolas ensinam o ateísmo aberto e declarado, ao passo que na sociedade israelita e na cultura cristã do Velho e Novo Testamentos se ensina a religião nas escolas com ênfase na adoração ao único Deus verdadeiro. Atualmente as escolas sequer aceitam a Bíblia na sala de aula. O marido tem o lar como sua única opção para uma boa educação de seus filhos e deve apoiar a esposa nesse sentido. 

O marido deve tratar sua esposa com gentileza. Reconhecer o que a esposa faz por ele e sempre tomar parte ativa em ajudá-la. 
Evitar as críticas, principalmente as desnecessárias. Reconhecer a importância das pequenas atitudes da esposa. 
Dedicar tempo à sua esposa. 
Transmitir segurança à esposa. 
Fazer o possível para tornar seu lar agradável. 
Nunca usar de ameaças ou violência. 

Procurar saber as coisas que fazem sua esposa feliz e evitar fazer qualquer coisa que a deixe triste.
Solange Lins publicou um artigo chamado Um Visão Diferenciada Para os Casais do Século XXI onde diz que os deveres do esposo são: 

1. Compreender que uma das necessidades básicas da esposa é sentir que tem importância para o marido Ef 5:25.
2. Dar às opiniões da esposa o mesmo valor que dá às suas 1 Pd 3:7.
3. Valorizar os pontos positivos da personalidade da esposa Tg 4:11.
4. Procurar solucionar os problemas em vez de tentar aconselhar a esposa Pv 23:23; Gl 6:23. 
5. Dar à esposa oportunidade e tempo suficiente para expressar suas ideias 1 Co 13:4. 
6. Manifestar sempre o pensamento de que a pessoa dela é a sua complementação Pv 31:28-29.
7. Passar bastante tempo em companhia da esposa, para descobrir o que é importante para ela, aprender a ver as coisas do seu ponto de vista Fp 2:4.
8. Aprender a recusar firmemente convites para atividades e responsabilidades que o afaste do convívio da família, nos momentos em que deve se dedicar à ela Ef 5:16; Sl 90:162. 
9. Definir normas pelas quais os filhos serão disciplinados Ef 6:4; Ml 4:5-6.
10. Se dispor a empregar o tempo que for necessário para estudar com a esposa a preparação para qualquer inovação de importância drástica que for introduzida na família Pv 20:18.
11. Disciplinar os sentimentos e atitudes para com a esposa 1 Ts 4:4.
12. Continuar a desenvolver sua liderança espiritual Ex 20:5.
13. Evitar brincadeiras de mau gosto e zombar da esposa na presença de outras pessoas Ef 4:5.
14. Perdoar as falhas passadas da esposa Mc 11:25. 
15. Reconhecer seus erros e confessá-los honestamente Tg 5:16.
16. Definir bem para a esposa suas responsabilidades básicas como marido 1 Tm 3:5. 

Portanto, o marido só século XXI não deve considerar a Bíblia um livro ultrapassado, mas estudar continuamente e em espírito de oração com toda humildade as sagradas letras que podem torná-lo sábio 2 Tm 3:15 para a salvação sua e de seus familiares. Crendo no Senhor Jesus será salvo ele e sua casa At 16:31. Mesmo em pleno século XXI a Bíblia ainda é o livro mais importante para o marido e, deve ele, considerar esse livro seu livro principal. No século XXI as Escrituras não perderam sua relevância e cabe ao marido governar o lar se baseando nesses princípios da mais alta moral e sabedoria.