sábado, 12 de março de 2016

O Cristão e as manifestações



 Estamos vivendo momentos únicos em nossa geração. O país se manifesta em prol de melhorias que sabe quais são, mas não sabe como fazer acontecer. É interessante que já deixou claro o seu repudio por partidos políticos, a ponto de sugerir um Estado sem partido político, mas o mínimo que aprendemos de política, ou sociologia, nos diz que um país sem partidos políticos é uma anarquia, sinônimo de bagunça. Gostaria que lesse o post Estou na contramão das manifestações que tomam conta do Brasil.

O Brasil se manifesta, numa revolta social, na qual manda um recado direto aos nossos governantes, que queremos mudanças imediatas e firmes, estabelecidas, e não provisórias.

Essas manifestações se têm mostrado como um ato social louvável e democrático, num Estado de direito, apartidário, e muito emocionado. O Brasil cansou com um monte de fatores que todos nós brasileiros já sabemos e estamos vivendo na pele faz tempo.
O cristão e as manifestações nem tão pacificas assim

Tenho observado a covardia da Igreja e a omissão generalizada nos nossos púlpitos, como se nada estivesse acontecendo. Acorda, que o Brasil esta atravessando revoluções intestinais que podem mudar a sua cara para sempre.

Onde estão os profetas de plantão, que falam grosso entre quatro paredes, mas que agora que são urgentemente necessários, para dizer ao povo o que Deus diz ou pensa, do que se ocorre, se escondem em cavernas cômodas, com TV de controle remoto, colorida. Pra mim essa omissão é covardia, me desculpem. Pra que Deus levanta profetas para uma nação, se esses tem medo de falar?

Eu quero dizer algo aos meus irmãos cristãos, acredito que poderá servir a outros não cristãos também. Nessa minha fala me lembro de um pastor que tive que não tinha medo de se engajar em nada, ele sabia a que fora levantado e fazia o seu papel esperado. Acredito que ele falaria mais ou menos assim:
Crente pode participar de manifestações?

Sim, o cristão pode e deve participar da vida do seu país. Não temos nada contra as manifestações pacificas, desde que sejam pacificas. O movimento reinvidica melhorias para o povo brasileiro, e isso é muito válido.

Desde que as manifestações deixem de ser pacificas, o cristão não deve se envolver. O Israel do Antigo Testamento conquistou a paz com muita briga, mas nós do Novo Testamento entendemos melhor e não devemos fazer assim. Cristão não deve estar envolvido em arruaças, ou depredações, ou xingamentos, ou ferir alguém do modo que for. E nem ninguém que seja honesto.

Esta omissão da Igreja Brasileira, em analisar e propor alternativas em Deus para o povo, vinda dos seus púlpitos é covarde. Isso mostra uma falta de engajamento pernicioso. Seria muita hipocrisia viver a vida, como se nada estivesse ocorrendo.

Fontes: http://filhosdeezequiel.com/o-cristao-e-as-manifestacoes/