quarta-feira, 3 de maio de 2017

Comentário Bíblico Mensal: Maio/2017 - Capítulo 1: Introdução ao Livro de Daniel



Comentarista: Ygor Campos

Introdução

Prezado amante da Palavra de Deus. Depois de um estudo excelente sobre a 1ª Epístola aos Tessalonicenses no mês de abril, neste mês, estudaremos um dos temas mais interessantes e incríveis do Antigo Testamento: O livro de Daniel, cujo tema é: Profeta Daniel - Integridade Espiritual em Meio ao Paganismo. O comentarista deste mês é o irmão Ygor Campos. Ministro do Evangelho, Líder da Conjovad-RJ, escritor e apologeta cristão. Que o exemplo de Daniel, possa fluir em suas vidas, da didática para a prática constante.

I. Autoria e Data

O Profeta Daniel é o autor desse livro (ver Daniel 8:1; 9:2, 20; 10:2). O nome DanieI significa “um juiz (é) Deus”. Nada se sabe a respeito de seus progenitores, embora pareça haver sido de linhagem real (Daniel 1:3); foi levado cativo para a Babilônia [como parte da deportação dos judeus cerca de 605 a. C.] onde recebeu o nome de Beltessazar (Daniel 1:6–7). O livro de Daniel foi escrito por volta de 530 a.C. enquanto Daniel vivia na Babilônia. Supondo que ele era um adolescente quando foi levado para a Babilônia, Daniel talvez tivesse 90 anos quando escreveu esse livro.

II. Quem foi Daniel

Daniel foi selecionado como um dos jovens judeus mais especiais para ser treinado para servir na corte do rei Nabucodonosor. Deus abençoou Daniel com o dom de interpretar sonhos, e ele foi promovido a cargos de liderança nos governos Babilônico e Persa. De muitas maneiras sua vida foi semelhante à de José, que foi vendido para o Egito.

III. O Propósito do Livro de Daniel

Daniel focaliza as nações do mundo e dá vislumbres da luta pelo poder das grandes dinastias desde os dias de Daniel até o “tempo do fim”. É história do mundo escrita de antemão. Conduz a um clímax empolgante ao mostrar o que sucede “na parte final dos dias”. Como Nabucodonosor, as nações têm de aprender pela maneira difícil “que o Altíssimo é Governante no reino da humanidade” e que por fim ele o dá a alguém “semelhante a um filho de homem”, o Messias e Líder, Cristo Jesus. (Dn. 12:4; 10:14; 4:25; 7:13, 14; 9:25; Jo 3:13-16) Com detida atenção aos cumprimentos proféticos do livro inspirado de Daniel, compreenderemos mais plenamente o poder de Deus de fazer profecias e a sua garantia de proteção e bênção para seu povo.