quinta-feira, 12 de outubro de 2017

Nossa Atitude Diante da Volta de Cristo


É difícil encontrarmos nesses dias mensagens que abordam a volta de Cristo. Mensagem essa que foi até esquecida no meio evangélico, hoje é comum encontrarmos sermões recheados de alto-ajuda, prosperidade, triunfalismo e etc. Não podemos nos esquecer que, Cristo um dia há de voltar para buscar seu povo remido e santo. Precisamos aguardar sua volta, muitos podem até não crê ou não ter esperança na vinda de Jesus, mas nós os cristãos aguardamos essa promessa firmemente e sabemos que Aquele que prometeu é fiel para cumprir sua promessa. Portando, devemos nos perguntar, como estamos nos comportando diante da volta de Cristo.

Por meio desse texto, quero de forma resumida falar de algumas atitudes que devemos ter perante a vinda de Cristo. 

1. Amar a vinda de Jesus

Muitos que estão dentro das igrejas, não tem amado a vinda de Cristo. Estão vivendo de certa forma, como se a vida cristã pertencesse apenas a esse mundo, Paulo escrevendo para seu filho na fé Timóteo disse: Desde agora, a coroa da justiça me está guardada, a qual o Senhor, justo juiz, me dará naquele dia; e não somente a mim, mas também a todos os que amarem a sua vinda (2Tm 4:8). O apóstolo de Cristo afirma que, a coroa da justiça está guardada a ele; está coroa, é alcançada a todos aqueles que foram justificados pela fé em Cristo Jesus. Quando cremos no Cristo crucificado; todos os méritos de Jesus na cruz passam a ser nosso, sua justiça passa ser imputada a nós e somos considerados justos diante de Deus; todos nossos pecados foram pagos no madeiro e temos garantia de vida eterna.

Paulo deixa claro que isso não pertencia somente a ele, mas a todos que amam a sua vinda. E todos aqueles que foram justificados pela fé, amam a vinda de Cristo. E como sabemos que estamos amando sua vinda? Os que amam a sua vinda, não esperam Cristo somente nesta vida (1Co 15:19); esquecem das coisas que para atrás ficaram e prosseguem para o alvo que é Cristo Jesus (Fp 3:13,14); tem sua mente centralizada nas coisas do céu (Cl 3:2); olha para Jesus como autor e consumador da fé (Hb 12:2); ama e obedece a palavra de Deus (Jo 14:23).

Se essas virtudes são encontradas em nossas vidas, é sinal que estamos amando a vinda de Cristo.

2. Devemos Esperar

Devemos esperar o retorno de Cristo para buscar seu povo amado. Paulo escrevendo para a igreja de Filipo disse: Mas a nossa pátria está nos céus, donde também aguardamos um Salvador, o Senhor Jesus Cristo (Fp 3:20). Paulo leva os irmãos a centralizar suas mentes para as coisas do alto, ou seja, para a vida eterna. Na época em que Paulo escreveu isto, os libertinos que ele chamava de inimigo da cruz, estavam voltados somente para as coisas terrenas; e Paulo descreve que o destino deles era a perdição. Por isso, que Paulo demonstra para os irmãos que eles devem aguardar a vinda de Cristo, porque a pátria deles não é dessa terra, mas sim do céu, onde Cristo transformará o corpo da nossa humilhação, para ser conforme ao corpo da sua glória, segundo o seu eficaz poder de até sujeitar a si todas as coisas (Fp 3:21).

O apóstolo Tiago nos ensina que, devemos esperar a volta de Cristo com paciência (Tg 5:7). Ele faz uma certa ilustração sobre isto: Eis que o lavrador espera o precioso fruto da terra, aguardando-o com paciência, até que receba as primeiras e as últimas chuvas (Tg 5:7). Em seguida ele diz que devemos fortalecer o coração porque a vinda do Senhor está perto (Vv 8). E como um cristão fortalece seu coração diante de Deus? Usando os meios da graça que são: a oração, a palavra de Deus e os sacramentos que o Senhor nos deixou.

Mesmo diante das circunstâncias, precisamos esperar de forma firme o retorno de Cristo e seguir a orientação de Tiago: Irmãos, tomai como exemplo de sofrimento e paciência os profetas que falaram em nome do Senhor Eis que chamamos bem-aventurados os que suportaram aflições. Ouvistes da paciência de Jó, e vistes o fim que o Senhor lhe deu, porque o Senhor é cheio de misericórdia e compaixão(Tg 5:10,11).

3. Apressar a vinda de Cristo

Talvez possa soar estranho para algumas pessoas, o fato de ouvir falar sobre apressar a vinda de Cristo. Mas o texto bíblico fala sobre isso: Aguardando, eapressando-vos para a vinda do dia de Deus, em que os céus, em fogo se desfarão, e os elementos, ardendo, se fundirão? (2Pe 3:12). A palavra apressando, em outras traduções aparece como acelerando. Ela traz o entendimento assim: aguardando ardentemente e acelerando a volta de Cristo. Apesar de pessoas na época estarem falando da demora da volta de Jesus (Vv 4), Pedro demonstra que, Deus não retarda a sua promessa; ainda que alguns tem por tardia, mas quer que as pessoas cheguem ao arrependimento (Vv9). Então, apesar de o texto está falando de umademora e de uma pressa ao mesmo tempo, não devemos entender como uma contradição. Sabemos que por meio da providencia, Deus dirigi todas as coisas conforme sua vontade.

Portanto, como devemos apressar a vinda de Cristo? - Quando falo apressar, me refiro sobre a responsabilidade humana - primeiro, devemos nos dedicar ao evangelismo e a obra missionária mundial. Como Jesus disse: E este evangelho do reino será pregado no mundo inteiro, em testemunho a todas as nações, e então virá o fim (Mt 24:14). Segundo, devemos nos dedicar a oração. Os Puritanos por exemplo, seguiam muito bem o ensino de Jesus, sobre a oração do Pai Nosso:Venha o Teu Reino. No tempo dos Puritanos, antes da pregação eles oravam pela propagação do evangelho e do reino de Cristo a todas as nações, pela conversão dos judeus, pela plenitude dos gentios e pelas igrejas que eram afligidas pelos poderes mulçumanos. No culto familiar, eles oravam pela igreja, nação, família e por cada membro.

Por mais que não tenhamos algum envolvimento com grupo de missões, podemos fazer igual os Puritanos, nos dedicar em oração por missões.

4. Vigiar

Jesus falando sobre sua volta no sermão profético disse: Vigiai, pois, porque não sabeis em que dia vem o vosso Senhor (Mt 24:42). A palavra vigiar tem o significado de estar atento e de guardar também. Mas a pergunta é, devemos estar atentos sobre o quê? Olhando para a passagem de Lucas 21:34-36 Jesus deixa claro sobre de que devemos nos guardar:

Olhai por vós mesmos; não aconteça que os vossos corações se carreguem de glutonaria, de embriaguez, e dos cuidados da vida, e aquele dia vos sobrevenha de improviso como um laço. Porque há de vir sobre todos os que habitam na face da terra. Vigiai, pois, em todo o tempoorando, para que possais escapar de todas estas coisas que hão de acontecer, e estar em pé na presença do Filho do homem.

Veja que, a vigilância empregada por Jesus tem a ver com a separação das coisas do mundo. Paulo segue o mesmo pensamento quando escreve para a igreja Tessalônica: Não durmamos, pois, como os demais, antes vigiemos e sejamos sóbrios (1Ts 5:6). Aqui, Paulo faz um contraste entre os filhos do dia e das trevas, ou seja, aqueles que servem a Deus e os que não servem. E ele exorta os irmãos a vigiar e se manter firme na fé (1Ts 5:8). Desse modo, a vigilância que Jesus espera daqueles que aguardam a sua vinda, está em permanecer firme nEle e se apartar das coisas que o mundo oferece.

5. Devemos estar preparados

Todo cristão deve estar preparado para volta de Cristo, isso é uma responsabilidade de todos que servem a Deus. Jesus disse que à hora e o dia da sua volta ninguém sabe, mas unicamente o Pai (Mt 24:36). Jesus cita a parábola do servo bom e do servo mau que, ilustra bem sobre como devemos estar preparados para sua volta (Mt 24:45-51). No servo bom encontrasse fidelidade e prudência na sua forma de esperar seu senhor. Jesus diz que bem-aventurado o servo que se encontra dessa forma, Cristo afirma que esse será recompensado por suas atitudes. Entretanto, o servo mau não terá a mesma recompensa do servo bom, porque no mesmo não se encontra fidelidade e prudência; em vez disso, se encontra nele uma vida toda voltada para a imoralidade e materialismo.

Encontramos na parábola das dez virgens, outro exemplo de Jesus sobre como devemos estar preparados (Mt 25:1-12). O texto diz que cinco eram prudentes e cinco eram loucas. As prudentes levaram em suas vasilhas azeite, enquanto que, as loucas não levaram azeite para esperar o noivo. E quando o noivo chega, quem entra são as prudentes para as bodas e se fecha a porta. Mas para as loucas que não estavam preparadas o noivo diz: Depois vieram também as outras virgens (loucas), e disseram: Senhor, Senhor, abre-nos a porta. Ele, porém, respondeu: Em verdade vos digo, não vos conheço (Mt 25:11,12).

Diante dessas duas parábolas abordadas por Jesus, sobre como devemos estar preparados para o seu retorno, aprendemos que, a maneira correta de estar preparado é sermos fieis como o servo bom (Mt 24: 45-51), e sermos como as cinco virgens prudentes (Mt 25:1-12). Se não tivermos essas qualidades, vamos ouvir aquelas palavras ditas as cinco loucas que não estavam preparadas: Em verdade vos digo, não vos conheço (Mt 25:11). Ou aquelas palavras ditas aquele servo mau: virá o senhor daquele servo, num dia em que não o espera, e numa hora de que não sabe, e cortá-lo-á pelo meio, e lhe dará a sua parte com os hipócritas; ali haverá choro e ranger de dentes (Mt 24:50,51).

Conclusão

As lições práticas aprendidas diante de tudo isso é: amar a vinda de Cristo realmente e não ficarmos com os nossos olhos somente para as coisas dessa vida. Nunca devemos esquecer que a nossa pátria está nos céus e de onde aguardarmos o retorno do nosso salvador em glória e poder. Não devemos esquecer sobre apressar a vinda de Cristo e confiar na sua inteira providência de conduzir todas as coisas. Nós como igreja de Cristo devemos nos envolver em obras evangelísticas; por mais que não estejamos em alguma, podemos orar para que o reino de Deus avance nesse mundo. A vigilância deve ter total importância para nossa vida cristã, por meio dela estaremos atentos e guardados diante das coisas que o mundo oferece. E por último, devemos estar preparados para a volta de Cristo, e como vamos estar preparados? Andando em fidelidade e prudência diante de Deus. E que possamos nos lembrar das palavras de Jonathan Edwards: Senhor grave a eternidade nos meus olhos.  

Sidney Muniz