sábado, 12 de maio de 2018

O Perigo de Negociar as Coisas de Deus




Por Leonardo Pereira


Depois de Elias, homem de Deus, subir aos céus por meio de um redemoinho (2 Rs 2.1, 11, 12), Eliseu, o seu discípulo, logo em seguida, sucedeu seu ministério profético com grandes sinais e maravilhas no meio do povo, testificando a todos que era realmente um profeta do Senhor, recebendo porção dobrada do poder que tinha Elias, a partir do momento em que o viu subindo aos céus (2 Rs 2.9, 10). Eliseu logo após alguns momentos cumprindo o seu ofício profético, seleciona um jovem moço, Geazi, para ser o seu discípulo. Geazi deveria aprender bastante com Eliseu para sucedê-lo, ser um poderoso instrumento usado nas mãos do Senhor e assim, ser um grande profeta para Israel com o intuito de glorificar ao Senhor.

Mas o que vemos na pessoa de Geazi sem dúvidas é totalmente contrário de que Eliseu projetara para sua vida. A vida de Geazi foi totalmente inversa, destituída dos valores que o Senhor tem para nós. Do começo ao fim do seu discipulado, o jovem Geazi não se dedicou, aprendeu, valorizou ou conservou os valores vistos e ministrados por Eliseu e pelo Senhor em sua vida. Antes, mostra características que corrompem o seu caráter e a sua integridade diante do Senhor e dos seus ensinamentos, estes transmitidos por Eliseu a ele. Muitas coisas podemos observar na vida de Geazi em decorrência da sua companhia com Eliseu, mas observaremos quatro momentos em que ele demonstra uma pessoa totalmente desvirtuada das coisas com o Senhor, e encontramos valores que ganharam espaço em sua vida e em seu coração, para nossa reflexão.

1) Insensibilidade para com as pessoas necessitadas e aflitas: "Então disse ele: Que se há de fazer por ela? E Geazi disse: Ora ela não tem filho, e seu marido é velho" (2 Rs 4.14). O ministério profético de Eliseu demonstra amor e carinho para com os israelitas e até para com os de fora da nação. Eliseu cumpria o seu papel profético com amor e com entrega, pois viu e aprendeu com Elias, servo do Senhor. A mulher sunamita junto com seu marido humildemente haviam convidado o profeta e o seu moço para estarem em sua residência devido a longa caminhada que haveriam de seguir, e sem recursos para uma estalagem. Em meio a aquele grande demonstração de carinho e afeto para com ambos, Eliseu quer ajudá-la de alguma como forma de gratidão. Geazi demonstra já de antemão, atitudes contrárias e logo usa de desdém para com aquele casal. Ingratidão e insensibilidade hoje são bastante presentes na sociedade e isso tem acabado com muitos relacionamentos, senão vejamos. Geazi não demonstra amor nem gratidão para com aquele casal que usa de bondade para com eles.

2) A Falta de Fé para com o Deus de Israel: "E Geazi passou adiante deles, e pôs o bordão sobre o rosto do menino; porém não havia nele voz nem sentido; e voltou a encontrar-se com ele, e lhe trouxe aviso, dizendo: O menino não despertou" (2 Rs 4.31). Os valores divinos não se encontravam em Geazi. O problema não estava no bordão, mas estava em Geazi. Ele foi cumprir a ordem de Eliseu mas sem fé. A prioridade de clamar ao Senhor não se encontrava no coração daquele jovem moço, discípulo de Eliseu. A superficialidade de suas ações e atitudes para ele naquele momento é suficiente, o bastante.

Há pessoas com uma grande ortodoxia em suas mentes, mas sem fogo do espírito em seus corações. Fazem muitas coisas para Deus, mas não o fazem com integridade de coração e alma. Esforçam-se para cumprir seus propósitos, mas não buscam ao Senhor para todos os rumos da sua vida.

3) Interesses Terrenos e Carnais para com a Obra de Deus: "Então Geazi, servo de Eliseu, homem de Deus, disse: Eis que meu senhor poupou a este sírio Naamã, não recebendo da sua mão alguma coisa do que trazia; porém, vive o SENHOR que hei de correr atrás dele, e receber dele alguma coisa. E foi Geazi a alcançar Naamã; e Naamã, vendo que corria atrás dele, desceu do carro a encontrá-lo, e disse-lhe: Vai tudo bem? E ele disse: Tudo vai bem; meu senhor me mandou dizer: Eis que agora mesmo vieram a mim dois jovens dos filhos dos profetas da montanha de Efraim; dá-lhes, pois, um talento de prata e duas mudas de roupas" (2 Rs 5.20-22). Geazi viu o menino morto da mulher sunamita ressussitar, e depois testemunhou a cura completa de Naamã, sendo curado da lepra depois de ter se banhado sete vezes no Rio Jordão (Rs 5.1-19). Eliseu seguindo os ensinamentos de Elias, não usurpou nada para si, nem glórias de homens, nem bens terrenos. Somente fazia o que o Senhor o mandava fazer, cumprindo fielmente o seu papel de profeta de Israel. Ao contrário de Eliseu, Geazi indo na mão dos ensinamentos aprendidos, foi buscar bens terrenos em busca do milagre que o Senhor fez na vida de Naamã. Usando o nome de seu mentor, usurpa o que não deveria ser usurpado, e faz da obra de Deus, negócios terrenos para seus interesses pessoais.

4) Mentiras e Desdém das Coisas de Deus: "Então ele entrou, e pôs-se diante de seu senhor. E disse-lhe Eliseu: Donde vens, Geazi? E disse: Teu servo não foi nem a uma nem a outra parte" (2 Rs 5.25). Integridade e moralidade não havia em Geazi. Foi decidido para ele que o mais importa era usurpar os bens de Naamã para si. Cria ele que o ministério profético era para se beneficiar e ter glórias e muitas honras terrenas. A mentira que ele disse para Eliseu lhe convinha. Cumprir corretamente seu papel de discípulo de Eliseu já não estava mais em seus planos.

Geazi enfrentou um triste fim de seu discipulado em decorrência de tudo o que ocorreu em sua vida até aquele momento. Eliseu sendo revelado tudo pelo Senhor o que fez Geazi, estando calçado com a verdade lhe informa o seu juízo: "Porém ele lhe disse: Porventura não foi contigo o meu coração, quando aquele homem voltou do seu carro a encontrar-te? Era a ocasião para receberes prata, e para tomares roupas, olivais e vinhas, ovelhas e bois, servos e servas? Portanto a lepra de Naamã se pegará a ti e à tua descendência para sempre. Então saiu de diante dele leproso, branco como a neve" (2 Rs 5.26,27). Geazi teve um começo bom. Um futuro promissor. Poderia ele ser um grande profeta seguindo fielmente os passos de Elias e de Eliseu, ser usado grandemente por Deus para levar a sua mensagem a muitos. Mas escolheu as coisas da terra para abrigarem em seu coração como alvo. Triste fim que este caminho leva estes que buscam de Deus, as glórias terrenas e pensamentos carnais.

Tomemos cuidado para que as nossas vidas não sigam como se seguiu na vida de Geazi e o fim que ela leva. Muitos estão entrando por este caminho e não estão seguindo a ordem divina do Senhor e Salvador Jesus Cristo: "Entrai pela porta estreita; porque larga é a porta, e espaçoso o caminho que conduz à perdição, e muitos são os que entram por ela; E porque estreita é a porta, e apertado o caminho que leva à vida, e poucos há que a encontrem" (Mt 7.13, 14).