domingo, 29 de julho de 2018

A Prática da Meditação


Falar em meditação bíblica para muitos hoje soa estranho, porque a maioria tem a prática como um costume de seitas orientais. Uma característica ruim de nossa cultura moderna, é que a meditação passou a ser mais identificada como sistema não cristão de pensamento, do que com o cristianismo bíblico. Mesmo dentre os crentes, a prática da meditação é muitas vezes associada a yoga, meditação transcendental, terapia de relaxamento ou Movimento Nova Era. Por ser tão proeminente em muitos grupos e movimentos espiritualmente enganosos, alguns cristãos se sentem desconfortáveis com respeito à meditação e desconfiados daqueles que se envolvem nela. Mas devemos nos lembrar que a meditação é tanto ordenada por Deus, quanto exemplificada por homens Piedosos nas Escrituras.

O objetivo desse texto, é deixar alguns princípios bíblicos, que auxiliam na meditação da palavra de Deus e ressaltam a sua importância para vida cristã.

Definição

Para entrarmos mais afundo neste assunto, precisamos definir o que é meditação. A palavra meditar ou ponderar significa “pensar sobre” ou “refletir”. “Enquanto eu meditava, ateou-se o fogo”, disse Davi (Sl 39.3). Significa ainda “murmurar, sussurrar, fazer ruído com a boca. Implica o que expressamos por meio de um solilóquio ou falar consigo mesmo”. Esse tipo de meditação envolvia recitar para si, em espaçado murmúrio, passagens da Escritura que alguém armazenara na memória.

Enquanto as seitas orientais usam a meditação para esvaziar a mente, os cristãos a usam para encher a mente com a palavra de Deus.

Tipos de meditações

Existem alguns tipos de meditações, que são:

Primeiro, meditação formal. Implica assuntos importantes. Por exemplo, os filósofos meditam sobre conceitos tais como a matéria e o universo, enquanto os teólogos refletem sobre Deus, os decretos eternos e a vontade do homem.

Segundo, meditação ocasional. É relativamente fácil para um crente, porque ela pode ser praticada em qualquer tempo, em qualquer lugar e entre quaisquer pessoas. Uma pessoa espiritualmente ponderada pode aprender rápido como espiritualizar as coisas naturais, pois seus desejos estão em oposição à mente profana, que carnaliza até mesmo as coisas espirituais.

Terceiro, meditação diária. Esse tipo envolve tempos estabelecidos. A meditação diária e deliberada ocorre “quando alguém separa algum tempo e entra em sua sala privada, ou numa caminhada solitária, e então “medita solene e deliberadamente sobre as coisas celestiais”.

Passagens bíblicas referente a meditação

Não se aparte da tua boca o livro desta lei, antes medita nele dia e noite, para que tenhas cuidado de fazer conforme tudo quanto nele está escrito; porque então farás prosperar o teu caminho, e serás bem sucedido (Js 1:8).

Essa foi a ordem do Senhor para Josué ser bem-sucedido em tudo o que ele fizesse, a meditação. “Essa prática o Senhor não estabeleceu que fosse apenas um momento na sua vida, mas todo o dia ele deveria meditar na lei de Deus”. Se o mesmo meditasse e praticasse o que meditou, todo seu caminho seria próspero. É evidente que se praticarmos a meditação, seremos pessoas prósperas, não no sentido material, mas espiritualmente, em nossa vida cristã. Como disse Donald S. Whitney:
O verdadeiro êxito é prometido àqueles que meditam na Palavra de Deus, que pensam profundamente nas Escrituras, não apenas uma vez ao dia, mas em momentos no decorrer do dia e da noite. Eles meditam tanto, que suas conversas são saturadas das Escrituras. O fruto da meditação deles é a ação. Eles fazem o que encontram escrito na Palavra de Deus, e, como resultado, Deus prospera o caminho deles e lhes concede êxito.
Bem-aventurado o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores; antes tem seu prazer na lei do Senhor, e na sua lei medita de dia e noite. Pois será como a árvore plantada junto às correntes de águas, a qual dá o seu fruto na estação própria, e cuja folha não cai; e tudo quanto fizer prosperará (Sl 1:1-3).

Aqui podemos perceber que o salmista compara a vida espiritual do crente a uma árvore. Para que essa árvore cresça e dê seus respectivos frutos, é imprescindível a prática da meditação. Meditar na palavra de Deus nos leva absolvermos com mais profundidade as Escrituras Sagrada, ela é como um solo que abre para a filtragem da alma. Assim, meditar nas coisas divinas nos leva ao crescimento espiritual.

Métodos de meditação  

A) Selecionar uma passagem ou temas bíblicos

Você pode selecionar uma passagem da Bíblia para fazer sua meditação, pode ser um versículo ou um capitulo da Bíblia. Diante disso, materiais como concordância, dicionários bíblicos, mapas e traduções diferente, ajudará você nesse processo. Meditar através de versículos memorizados é outra alternativa. Escolher temas é outro método muito importante, os puritanos indicavam temas como:
A pecaminosidade do pecado e nosso pecado pessoal. A corrupção e enganosidade do coração. A queda em Adão e alienação de Deus. A vaidade do homem. O valor e imortalidade da alma. A fragilidade do corpo. A incerteza dos confortos terrenos. O pecado da cobiça. A paixão e morte de Cristo. O amor de Cristo. A pessoa de Cristo. O mistério e maravilha do evangelho. A natureza de Cristo. Os ofícios de Cristo. A vida de Cristo. Os estados de Cristo. As promessas de Deus. Autoexame para evidências experimentais da graça. Os ricos privilégios dos crentes. A graça e a pessoa do Espírito Santo. Os benefícios da fé. Santificação. Oração. Os mandamentos de Deus. As admoestações e ameaças de Deus. O perigo da apostasia. O pequeno número dos salvos. Perigos espirituais. Amor, alegria, esperança. O Domingo. Renúncia.
Todos esses temas podem ser usados para uma boa meditação, são temas bem práticos.

 B) Escrever com suas próprias palavras

Parafrasear uma passagem bíblica com o que entendeu do texto é uma forma de meditação. Esse é um método que ajuda muitos a compreenderem as passagens da Bíblia, é uma forma produtiva que está ao seu dispor. O método também pode ser usado com livros, assim abrirá mais seu entendimento sobre o que está lendo, como também aperfeiçoará na prática da meditação.

C) Ore sobre o texto ou tema a ser meditado  
  
Salmo 119:18 diz: "Abre os meus olhos para que eu veja as maravilhas da tua lei". Devemos orar sempre que formos meditar nas coisas divinas, pedindo que Ele nos abra o entendimento para entendermos as verdades da Sua palavra, sempre pedindo a direção do Espirito Santo e iluminação para nos guiar em toda verdade (Jo 14:26).

É importante orar antes da meditação, pedindo a Deus para que nenhum empecilho possa nos impedir de meditarmos. Sobre isso os puritanos orientavam:
Limpe seu coração das coisas deste mundo – sua atividade e diversões, do mesmo modo que das tribulações e agitações interiores. “Ore a Deus não só para guardá-lo de companhia externa, mas também de companhia íntima; isto é, que o guarde dos pensamentos vãos, mundanos e dispersivos.” Tenha seu coração purificado da culpa e da poluição do pecado, e despertado pelo fervoroso amor pelas coisas espirituais. Entesoure um rico depósito de textos bíblicos e verdades espirituais. Busque a graça de abraçar a confissão de Davi no Salmo 119.11: “Guardo no coração as tuas palavras, para não pecar contra ti.”
Thomas Watson também orienta: “Ore sobre suas meditações. A oração santifica cada coisa; sem oração, elas são apenas meditações profanas; a oração ata a meditação na alma; oração é um nó feito no final da meditação que não a deixa escapar; ore para que Deus mantenha para sempre essas santas meditações em sua mente, para que o aroma delas permaneça perenemente em seu coração.”

A meditação deve sempre envolver duas pessoas: o cristão e o Espírito Santo. Orar a respeito de um texto é convidar o Espírito Santo a manter Sua luz divina sobre as palavras das Escrituras para mostrar a você aquilo que você não consegue ver sem Ele. Sempre que separar um texto da palavra para fazer sua meditação, leia primeiro o texto, ou ore primeiro, a ideia é no momento que estiver apresentando a passagem a Deus em oração; o Espirito Santo te dará a iluminação dele.

Conclusão

Até aqui apresentamos alguns métodos de meditação, existem outros que também podem ser usados para o crescimento espiritual.

Devemos ter em mente que, a meditação é uma ordenança de Deus para praticarmos, se não praticamos, é porque não levamos em conta a palavra do Criador. Temos de dá atenção a leitura da palavra de Deus e a oração, mas não podemos nos esquecer da prática da meditação. Joel Beeke fala algo importante sobre isto: 
Em certa época, a igreja cristã esteve profundamente engajada em meditação bíblica, o que envolvia separação do pecado e comunhão com Deus e com o próximo. Quando falhamos em meditar, desconsideramos a Deus e Sua Palavra, e revelamos que não somos piedosos. 
Que possamos fazer da meditação bíblica, uma disciplina cristã, para vivermos uma vida piedosa, segundo a imagem de Cristo a cada dia.

Sidney Muniz
Notas:
Espiritualidade Reformada – Joel Beeke
Disciplinas Espirituais para a Vida Cristã – Donald S. Whitney