sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

Capítulo 3: A Trajetória dos Apóstolos




 
Introdução
´´Então voltaram para Jerusalém, do monte chamado das Oliveiras, o qual está perto de Jerusalém, a distância do caminho de um sábado`` (ATOS 1: 12). Podemos imaginar aquela multidão descendo o monte das oliveiras (I Co 15: 1- 6), comentando, falando muito dos últimos dias (Lc 24: 13- 34). Talvez alguém possa ter perguntado; e agora como vai ser; o que será de nós? (Mt 28: 18- 20; Mc 16: 15- 18; Atos 8: 1- 4). Muito foi se falando pelo caminho afinal eles tinha uma caminhada de 1 km e 80m para conversar a vontade (Distância de um sábado equivale a 1 km e 80m). Eles voltaram para Jerusalém com um único objetivo: fazer o que lhes ordenou Jesus (Atos 1: 4).

I. A Escolha de Matias
Havia critérios para participar da eleição. A vaga deixada por Judas era para cuidar das finanças da igreja (Jo 12: 1- 6). Alem de ser um crente desde o inicio, ter andado com Jesus (Atos 1: 21- 22), a vaga tinha que ser ocupada por alguém que também entendia do assunto, ai muitos dos que aspiravam ao apostolado ficaram de fora. Mateus entendia do assunto (Mt 9: 9), mas ele já era apóstolo (Mt 10: 1- 3). Somente José Barsabás e Matias estavam preparados para ocupar este cargo tão importante na igreja de Deus (Lc 11: 43- 49). Pedro liderando a igreja e a eleição nos ensina como se inicia uma igreja (congregação local) (Pv 11: 14), e como é a igreja do Senhor Jesus Cristo (Mt 16: 13- 19). Não foi escolhido qualquer um; não escolheram por parentesco (Atos 1: 13- 14), amizade (Mt 20: 21- 23), poder aquisitivo (Tg 2: 1- 4), mas chegou ao final da eleição àqueles que realmente estavam preparados para ocupar o cargo e ser o décimo segundo apóstolo (Atos 1: 20; Sl 69: 25; Sl 109: 8).

II. A Descida do Espírito Santo
Querer entender os acontecimentos de Atos dos Apóstolos Cap.2 ver 2 a 12 seguindo as linhas teológicas que existem parece difícil, pois existem várias interpretações, o melhor caminho para a interpretação é justamente a interpretação do texto. De repente Jesus confirma a promessa (Jo 16: 7; Ef 4: 7- 10) a parte divina veio do céu (Gn 28: 10- 17; Jo 1: 35- 51; Jo 10: 9; Ef 4: 11- 16). O que aconteceu no cenáculo? Eles estavam reunidos orando. De repente o barulho! Veio de céu um som, ou seja, foi algo que não foi produzido por vontade humana, e nem produzido pela natureza (trovões). O que aconteceu no cenáculo não foi algo produzido pelo homem, veio de cima, veio do céu (Mt 21: 23- 25).

III. O Discurso de Pedro e os Milagres feitos por intermédio dos Apóstolos
O que aconteceu naquela manhã em Jerusalém foi algo tão poderoso e sobrenatural que jamais voltou a acontecer. Por que não aconteceu outras vezes? Porque o Espírito de Deus veio habitar para sempre no homem (Jo 14: 15- 17; Atos 1: 1- 5: Atos 1: 1- 4), e entre os homens (Atos 15: 28; Ap 22: 17). O derramar foi um evento tão sobrenatural, algo tão grande que mexeu com a natureza. Quando o dedo de Deus tocou na Terra (Lc. 11: 14-20; Lc. 4: 14-18), a natureza estremeceu (Ag. 2: 5-9; Mt. 27: 32-54). Este acontecimento foi à promessa de Jesus (Jo 16: 7), foi o batismo também anunciado por Jesus (Atos 1: 4- 5), o batismo com fogo do qual também profetizou João Batista (Mt 3: 11). Pedro agora cheio do Espírito Santo e revestido do poder de Deus (Lc 24: 46- 49), e com toda autoridade que Jesus já lhe havia entregado (Jo 21: 15- 17; Mt 16: 13- 19), se lembra das promessas do Senhor Jesus, lembra quando Jesus lhe disse: Tu és Simão, filho de Jonas. Ele lembra que Jesus mudou o seu nome e o transformou em uma pequena rocha (Jo 1: 35- 42). Ele lembra o que Jesus lhe falou: És tu pequena rocha, quem vai abrir a porta do evangelho, para os judeus e também para os gentios (Mt 16: 13- 19; Mt 24: 14; Dn 2: 31- 44). Ele lembra que Jesus lhe disse: Pedro vai ser você que vai ministrar no meio de uma grande chuva (Jl 2: 23- 32). Avivamento que Deus derramaria sobre os judeus (Ez 39: 29; Os 6: 14- 3; Atos 2: 1- 4), e também sobre os gentios (Atos 15: 7- 9; Atos 10: 1- 48; Atos 11: 1- 17). Quando esta profecia alcançou os gentios; pois os textos estudados nos dão a entender que derramamento foi só sobre os judeus convertidos? (Atos 11: 1- 18; Atos 10: 1- 48; Gl 3: 8- 14).