quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Comentário Bíblico Mensal: Setembro/2017 - Capítulo 3 - O Papel da Esposa na Família



Comentarista: Marcos Rogério

Introdução

O papel da esposa na família é de suma importância. Tal papel é indispensável. A mulher foi colocada como uma adjutora, auxiliadora do marido (Gn 2:20) para que pudesse ser uma com ele (Gn 2:24). Assim como o marido, a esposa deve considerar o homem parte dela mesma e cuidar dele (Gn 2:21-23) e entender que esposa e marido devem refletir em sua relação a imagem e semelhança de Deus (Gn 1:27). Temos no Éden a base para que a esposa entende seu importante papel para a família. 

I.  A Esposa no Antigo Testamento

Desde o Éden, permeando todo o Antigo Testamento vemos nas páginas das Escrituras Sagradas o papel da esposa na família. 
Nos tempos do Antigo Testamento muitas famílias não cumpriam o ideal divino porque os homens tinham muitas mulheres e as crianças tinham diferentes mães e havia rivalidade entre as esposas e filho, como exemplo temos a família de Jacó que casou com duas mulheres e que mesmo sendo irmãs ele teve que colher duras consequências ver, Gênesis 30 até Gênesis 50.
Mas o Antigo Testamento mostra o papel da mulher como esposa e líder do lar ao lado do marido ajudando na criação dos filhos. Embora a sociedade nos tempos bíblicos tinha uma cultura machista, em momento algum as Escrituras diminuem a importância da esposa e seu papel na família humana.
Deus designou que a esposa ocupasse o lugar original que Deus lhe designou ao lado do marido. A família necessita de esposas e mães que o sejam não apenas no nome, mas no pleno sentido das palavras. A esposa deve compreender a santidade da sua função que vem desde os tempos do Antigo Testamento. A esposa deve ser fiel ao seu posto do dever como o marido deve ser no dele. Nem num trono o rei tem função mais elevada do que uma esposa e mãe aos olhos de Deus. A sociedade depende mais do papel das esposas dentro dos lares do que do principal magistrado da nação. É no lar que surgem os grandes homens preparados para administrar uma nação como os pais administram o lar. O lar é uma escola onde a mãe é a primeira professora ao lado do marido que é o primeiro professor. A esposa raramente aprecia seu papel ao lado do marido e, muitas vezes, pelo fato de não ser valorizada na sociedade e diferente dos tempos do Antigo Testamento as esposas acabam abandonando o posto familiar para ser reconhecida na sociedade buscando realização pessoal e profissional ou por necessidades financeiras básicas. A estrutura da família no Antigo Testamento com a mãe tendo condições de se dedicar integralmente ao lar e tendo condições de acompanhar o desenvolvimento fosse filhos é um modelo sem igual. A família e a sociedade devem reconhecer o importante papel da esposa dentro de um lar. Nenhuma obra é maior e mais santa do que o papel da esposa no lar. É a esposa que dá o equilíbrio necessário ao lado do marido, ambos se completam. Sobre o homem a Bíblia diz: "O que acha uma esposa acha o bem e alcançou a benevolência do Senhor" (Pv 18:22). As Escrituras reconhecem tanto o papel da esposa e sua importância como que encontrar uma esposa aos moldes bíblicos é alcançar a benevolência do Senhor. É Deus quem faz com o o solitário habite em família (Sl 68:6). Não é bom que o homem esteja só, far-lhe-ei uma auxiliadora que lhe seja idônea (Gn 2:18). Nessas palavras inspiradas do Antigo Testamento Deus mostra a importância da família e do papel da esposa nessa família. Foi por causa da mulher que Adão deixou de ser solitário e foi ela a mãe de toda a raça humana. Adão reconheceu na esposa uma parte dele mesmo (Gn 2:23). O homem deve reconhecer na esposa uma parte de si, deve à luz dessas lições do Antigo Testamento entender o papel da esposa e sua importância dentro do lar e entender que ambos foram criados à imagem e semelhança de Deus e tem igual importância aos Seus olhos (Gn 5:1) e a união de ambos era tanta que a Tradução Almeida Revista e Atualizada descreve tal união afirmando que ambos receberam o mesmo nome, sendo o primeiro casal chamado pelo nome de Adão (Gn 5:2) e só algum tempo depois o homem passou a chamar a esposa de Eva, do hebraico hawwá, havah, que significa a que vive, a vivente, a cheia de vida, por ser ela a mãe de todos os seres humanos Gn 3:20. Logo após a queda, talvez Eva passou a se sentir responsável pela morte de todo vivente, mas bondosamente Adão a comparou à vida. A criação da mulher tinha o propósito de completar o homem (Gn 2:18, 24) e dessa forma o Antigo Testamento reconhece a função da esposa e sua importância e Deus viu que assim era muito bom (Gn 1:31).

II. A Esposa no Novo Testamento

À semelhança no Antigo Testamento, o Novo Testamento reconhece o fundamental papel da esposa na família. Mas diferente do patriarcado cultural, o Novo Testamento interpreta corretamente o Antigo mostrando a dignidade da mulher. Jesus foi um dos pioneiros do Novo Testamento a dar à mulher o devido valor e respeito na sociedade e na família. Maria recebe um destaque ao ser escolhida para ser a mãe do Filho de Deus (Mt 1:18-25 e Lc 1:26-38). As mulheres foram as primeiras destinatárias relatadas no Novo Testamento para divulgar a ressurreição de Jesus (Mt 28:1-10; Mc 16:1-11; Lc 24:1-12 e Jo 20:1-18). Dessa forma, é resgatada a importância da figura feminina que se havia perdido no decorrer da história judaica influenciada pela cultura das nações visinhas. 
Mas referente ao papel da esposa, o Novo Testamento destaca e amplia sua importância dando ênfase ao lar cristão. Em 1 Co 7 Paulo discorre sobre a união entre marido e mulher. Paulo volta ao tema do relacionamento conjugal em Ef 5:22:33 e destaca a importância da esposa e combatendo a cultura machista, o apóstolo compara a mulher à igreja Ef 5:22-25 e orienta os maridos a amar a mulher como seu próprio corpo e afirma que como Cristo amou a igreja, o marido deve amar a esposa Ef 5:29-33. Cristo sendo Senhor da igreja a ama e cuida dela tendo se entregado por ela. É nesse espírito de amor que Cristo é Senhor da igreja e é esse o modelo do senhorio do marido no lar, devendo ele reconhecer o papel da esposa e amá-la e cuidar dela. Nesse texto a submissão e o amor não colocam marido e esposa em posições antagônicas, mas o casamento os une os tornando um Ef 5:28-29 como era no princípio Gn 2:24. O amor os une a ponto de um se entregar pelo outro. Paulo continua tratando dessa relação e exortando os maridos a amarem suas esposas e reconhecerem sua importância em Cl 3:18-19 onde adverte os homens a não tratarem suas esposas com amargura. Pedro também trata da importância do estudo e me 1 Pd 3:1-7 onde dáuma série de orientações a ambos os cônjuges. Dessa forma, o Novo Testamento mostra a importância da esposa para o sucesso no lar.

III. A Esposa no Séc. XXI

Depois do movimento feminista dos anos 1960, 1970 e 1990  que visava dar às mulheres o direito de igualdade com os homens e que trouxe coisas boas e ruins, as mulheres lutaram pelo direito de igualdade, o que é justo, mas deu origem a tal independência feminina. Tal independência levou as esposas a trabalharem fora para buscar a realização profissional e pessoal, mas que por sua vez omitiu o papel de esposa e mãe na família, deixando os filhos e as casas aos cuidados de terceiros que precisa sua vez não preenchem o espaço e obra que uma mãe e esposa o faz, tendo em vista somente o interesse financeiro. 
Paulo disse: "No Senhor, todavia, nem a mulher é independente do homem, nem o homem é independente da mulher" (1 Co 11:11). Portanto, mesmo no século XXI a esposa deve lutar contra as insinuações de qualquer movimento ideológico que alega uma independência entre homem e mulher, tal ideologia por si mesma é diabólica e quebra a unidade do marido e da esposa que vem desde o princípio como Cristo disse: Não tendes lido que o Criador, desde o princípio, os fez homem e mulher e que disse: Por esta causa deixará o homem pai e mãe e se unirá a sua mulher, tornando-se os dois uma só carne? De modo que não são mais dois, porém uma só carne. Portanto, o que Deus ajuntou não o separe o homem" (Mt 19:4-6). Vemos nas palavras de Jesus uma refutação a qualquer ideologia que separe homem e mulher. A mulher do século XXI deve reger-se pelos princípios bíblicos. Não discordamos de mulheres do século XXI trabalharem fora, porque a situação financeira do país e mesmo do mundo as impele à isso, mas deve ser feito um esforço para preservar a família e minimizar os efeitos da ausência da mãe e da esposa. 
A esposa do século XXI também é vítima de violência doméstica. As estatísticas são alarmantes e homens e mulheres conscientes devem lutar pelos direitos humanos da mulher e pela sua segurança e felicidade. A esposa do século XXI deve ser protegida e amada pelo marido como Cristo cuida da igreja e a ama (Ef 5:22-33). Os noticiários todos os dias trazem dezenas de casos de violência física contra as mulheres, violência sexual, violência verbal e tantas outras formas de agressão. 
As esposas do século XXI ainda lutam por reconhecimento, pelo amor e admiração do marido e buscam nas academias, nas clínicas, nas dietas e nas medicações o corpo perfeito, porque lhes falta um elogio sincero por parte do marido que por sua vez admira a beleza de outras mulheres nas ruas e nos meios de comunicação. 
Em algumas regiões conforme a cultura e a educação, mesmo em pleno século XXI, as esposas ainda são vistas e tratadas como escrava sexual e empregada. Os cristãos devem ter consideração para com sua mulher, tratando-a como parte mais frágil, com dignidade, entendendo que marido e mulher são herdeiros da mesma graça para que as orações do casal não sejam interrompidas (1 Pd 3.7). 
Alguns acreditam que a Bíblia é fruto de uma era atrasada onde o povo era ignorante, mas as reivindicações de Deus através da Sua Palavra se encaixam perfeitamente como uma luva às necessidades da esposa no século XXI como o fez no passado. A Palavra de Deus continua atual e plenamente relevante à sociedade atual. 
A esposa é a parte que falta no corpo e na mente do homem e o homem é a parte que também completa a mulher. A esposa em nosso século continua sendo "hawwá", "havah" (Eva) fonte de vida. Foram as esposas que deram a luz aos grandes homens da história e também aos homens que sequer se tornaram conhecidos. Foi uma esposa que deu a luz ao Filho de Deus que se tornou o Salvados de todo aquele que nele crê (Mt 1:21; Jo 3:16). Foi através de uma mãe que todos aqui estamos. Não devemos diminuir a importância da esposa em nosso século e menos ainda devem as esposas diminuir seu próprio valor!  O valor de uma mulher excede o de finas jóias (Pv 31:10). 
Embora a sociedade evolui na área científica e tecnológica, ainda há muito o que mudar e a esposa do século XXI que agora tem a oportunidade de estudar, de votar, de exercer um cargo público e atuar ao lado do marido muito pode fazer nesse sentido. Deve ser quebrado esse clima de competitividade entre homem e mulher, Deus os fez para andarem lado a lado e não um contra o outro. 
Hoje vemos uma tendência crescente de valorizar a mulher, depois de muita luta por seus direitos. As mulheres, até pouco tempo ganhavam metade do que os homens ganham mesmo realizando a mesma quantidade de trabalho. As esposas são tão competentes quanto os maridos tanto para a administração do lar como para o mercado de trabalho. A esposa chega ao século XXI muito mais preparadas para as incertezas e os desafios que essa era oferece. A esposa não precisa ser feminista, mas feminina, ser ela mesma. Deve apegar-se à Palavra de Deus, pois em Cristo todos os tesouros da sabedoria e do conhecimento estão ocultos (Cl 2.3).