quinta-feira, 2 de agosto de 2018

Comentário Bíblico Mensal: Agosto/2018 - Capítulo 1 - A Epístola aos Filipenses




Comentarista: Lucas Soares


Texto Bíblico Base Semanal: Atos 16.9-18

9. E Paulo teve de noite uma visão, em que se apresentou um homem da Macedônia, e lhe rogou, dizendo: Passa à Macedônia, e ajuda-nos.
10. E, logo depois desta visão, procuramos partir para a Macedônia, concluindo que o Senhor nos chamava para lhes anunciarmos o evangelho.
11. E, navegando de Trôade, fomos correndo em caminho direito para a Samotrácia e, no dia seguinte, para Neápolis;
12. E dali para Filipos, que é a primeira cidade desta parte da Macedônia, e é uma colônia; e estivemos alguns dias nesta cidade.
13. E no dia de sábado saímos fora das portas, para a beira do rio, onde se costumava fazer oração; e, assentando-nos, falamos às mulheres que ali se ajuntaram.
14. E uma certa mulher, chamada Lídia, vendedora de púrpura, da cidade de Tiatira, e que servia a Deus, nos ouvia, e o Senhor lhe abriu o coração para que estivesse atenta ao que Paulo dizia.
15. E, depois que foi batizada, ela e a sua casa, nos rogou, dizendo: Se haveis julgado que eu seja fiel ao Senhor, entrai em minha casa, e ficai ali. E nos constrangeu a isso.
16. E aconteceu que, indo nós à oração, nos saiu ao encontro uma jovem, que tinha espírito de adivinhação, a qual, adivinhando, dava grande lucro aos seus senhores.
17. Esta, seguindo a Paulo e a nós, clamava, dizendo: Estes homens, que nos anunciam o caminho da salvação, são servos do Deus Altíssimo.
18. E isto fez ela por muitos dias. Mas Paulo, perturbado, voltou-se e disse ao espírito: Em nome de Jesus Cristo, te mando que saias dela. E na mesma hora saiu.

Momento Interação

Prezados estudantes da Palavra de Deus. Depois de estudarmos acerca dos Atributos do Senhor, neste mês estudaremos a Epístola de Paulo aos Filipenses. Esta epístola contém lições doutrinárias muito importante para as nossas vidas pois trata-se de uma epístola com um grande zelo pastoral, uma carta plenamente inspirada pelo Espírito Santo. O comentarista deste mês é Lucas Sores, educador, Ministro do Evangelho, escritor, e membro da equipe de comentaristas do Evangelho Avivado.
Desejamos a todos os irmãos durante todo o mês, um excelente estudo na Epístola do Apóstolo Paulo aos Filipenses. Deus vos abençoe!

Introdução

Qualquer registro da vida do apóstolo Paulo, autor de 13 dos 27 livros do Novo Testamento, focaliza as suas viagens evangelísticas. Poucos anos depois da sua conversão, Paulo acompanhou Barnabé em uma viagem que incluiu uma ilha importante no Mediterrâneo e algumas regiões da área conhecida como Ásia Menor (atual Turquia). Algum tempo depois, os dois saíram em viagens separadas. Barnabé voltou para a ilha de Chipre, e Paulo levou Silas e voltou, por terra, para a Ásia Menor. Paulo e Silas passaram pelas regiões visitadas na viagem anterior, e queriam ir mais para o norte. O Espírito Santo, porém, não permitiu isso, e continuou os guiando para o oeste até chegarem à beira do mar Egeu, que separa a Ásia da Europa. Por meio de uma visão, o Senhor mandou que fossem para a Macedônia (atual Grécia). Passaram por algumas outras cidades antes de chegar à cidade de Filipos.

I. A Chegada de Paulo em Filipos

Filipos teve uma história interessante. Em 358 a.C., foi conquistada por Filipe II (de quem vem o nome da cidade), um gênio militar que deu ímpeto às famosas conquistas do seu filho, Alexandre, o Grande. Pouco mais de cem anos antes do nascimento de Jesus, os romanos tomaram controle da cidade. Foi o local de batalhas importantes em 42 a.C., nas quais Marco Antônio e Otávio Augusto (conhecido depois como o primeiro imperador romano, César Augusto), procuraram vingança pela morte de Júlio César e conseguiram seu objetivo pela morte de Bruto e Cássio. Filipos foi elevada à posição de colônia romana (At 16.12). A localização geográfica de Filipos lhe deu a importância de porta de entrada da Europa para as pessoas vindas da Ásia. Conforme o registro bíblico, foi a porta de entrada do evangelho, que chegou ao continente europeu quando Paulo e Silas pregaram nessa cidade.

Esses dois evangelistas não chegaram com a pompa e cerimônia dos generais militares que fizeram história na mesma cidade. Depois de alguns dias em Filipos, Paulo e Silas foram ao rio (o Gangites passava perto da cidade) onde encontraram algumas mulheres em um lugar de oração. A primeira conversão a Cristo registrada no continente europeu foi de uma mulher da Ásia, pois Lídia era de Tiatira, uma cidade da Ásia Menor (At 16.14-15).

II. Autoria e Data da Epístola

Filipenses 1.1 identifica o apóstolo Paulo como o seu autor, provavelmente com a ajuda de Timóteo. Esta epístola foi escrita em aproximadamente 61 d.C. Filipenses pode ser chamado de "Recursos através do sofrimento". O livro é sobre Cristo em nossa vida, Cristo em nossa mente, Cristo como nossa meta, Cristo como nossa força e alegria através do sofrimento. Ele foi escrito durante a prisão de Paulo em Roma, cerca de 30 anos após a ascensão de Cristo e cerca de dez anos depois de Paulo ter pregado em Filipos pela primeira vez.

Paulo era um prisioneiro de Nero, mas a Epístola transborda com mensagens de triunfo. As palavras "alegria", "gozo" e "regozijo" aparecem com frequência (Fp 1.4, 18, 25, 26, 2.2, 28; 3.1, 4.1, 4,10). Uma experiência cristã correta é experimentar, independente de nossas circunstâncias, a vida, a natureza e a mente de Cristo habitando em nós (Fp 1.6, 11; 2.5, 13). Filipenses atinge o seu auge em 2.5-11 com a declaração gloriosa e profunda sobre a humilhação e exaltação de nosso Senhor Jesus Cristo.

III. O Propósito da Epístola aos Filipenses

A Epístola aos Filipenses, uma das epístolas de Paulo na prisão, foi escrita em Roma. Foi em Filipos, onde Paulo visitou em sua segunda viagem missionária (At 16.12), que Lídia e o carcereiro e sua família foram convertidos a Cristo. Agora, alguns anos mais tarde, a igreja estava bem estabelecida, como se pode deduzir pelo seu tratamento inicial, o qual diz: "bispos (presbíteros) e diáconos" (Fp 1.1). O motivo para a epístola foi reconhecer uma oferta monetária procedente da igreja em Filipos e levada ao apóstolo por Epafrodito, um dos seus membros (Fp 4.10-18). Esta é uma delicada carta para um grupo de cristãos que eram especialmente próximos ao coração de Paulo (2 Co 8.1-6) e, comparativamente, pouco é dito sobre o erro doutrinário.

Filipenses é uma das cartas mais pessoais de Paulo e, como tal, tem várias aplicações pessoais aos crentes. Escrita durante a sua prisão em Roma, Paulo exorta os filipenses a seguirem o seu exemplo e anunciar “a palavra com maior determinação e destemor” (Fp 1.14) em tempos de perseguição. Todos os cristãos têm experimentado, em um momento ou outro, a animosidade dos incrédulos contra o evangelho de Cristo. Isso é de se esperar. Jesus disse que o mundo o odiava e odiaria os Seus seguidores também (Jo 5.18). Paulo exorta-nos a perseverar em face de perseguição, a permanecer firmes "num mesmo espírito, combatendo juntamente com o mesmo ânimo pela fé do evangelho" (Fp 1.27). Uma outra aplicação de Filipenses é a necessidade dos cristãos permanecerem unidos em humildade. Estamos unidos com Cristo e temos que nos esforçar para estar unidos uns aos outros da mesma maneira. Paulo nos encoraja a “ter o mesmo modo de pensar, o mesmo amor, um só espírito e uma só atitude” e a repudiar a vaidade e egoísmo, mas ”humildemente considerem os outros superiores a si mesmo", prestando atenção aos interesses dos outros e cuidando uns aos outros (Fp 2.2-4). Haveria muito menos conflito nas igrejas hoje se todos seguíssemos o conselho de Paulo.